Procure

Estudo Bíblico Pare de Lutar Com Deus


         Abraão, Isaque e Jacó estão entre as pessoas mais importantes do Antigo Testamento. É preciso notar que esta importância não está baseada no caráter pessoal de cada um deles, mas no caráter de Deus. Estes homens conquistaram grande respeito e até mesmo temor de seus conhecidos. Eram ricos e poderosos, e, contudo, egoístas, capazes de mentir e enganar. Não se tratava de heróis perfeitos, como poderíamos esperar; ao contrário, eram pessoas como nós, tentando agradar a Deus mas sempre tropeçando.
         Jacó era o terceiro elo no plano de Deus para iniciar uma nação descendente de Abraão. O sucesso deste plano se deu mais "apesar de" do que "em razão da" vida de Jacó. Antes de Jacó nascer, Deus prometera que o plano se desenvolveria através dele, e não de seu irmão gêmeo, Esaú. Embora os métodos de Jacó nem sempre fossem respeitáveis, suas habilidades, determinação e paciência tinham de ser reconhecidos.
         A vida de Jacó possui quatro estágios, cada qual marcado por um encontro pessoal com Deus. No primeiro estágio, Jacó corresponde à expectativa de seu nome, que significa "ele agarra o calcanhar" (de forma figurada: "ele engana"). Ele agarrou o calcanhar de Esaú ao nascer e, quando fugiu de casa, também agarrou a bênção e a primogenitura do irmão. Durante sua fuga, Deus lhe apareceu no caminho, não apenas lhe confirmando a bênção, mas também despertando nele um conhecimento pessoal sobre si mesmo. No segundo estágio, Jacó experimentou a vida pelo outro ângulo ao ser manipulado e enganado por Labão.  Então ocorre uma mudança curiosa: o Jacó do primeiro estágio teria simplesmente abandonado Labão, porém o Jacó do estágio dois, após ter decidido partir, aguardou seis anos pela permissão de Deus.  No terceiro estágio, Jacó estava em um novo papel como agarrador. Desta vez, às margens do rio Jordão, ele agarrou-se com Deus e não queria deixá-lo partir. Ele percebeu sua dependência do Deus que continuara a abençoá-lo. Seu relacionamento com Deus tornou-se essencial para a sua vida, e seu nome foi mudado para Israel, que significa "ele luta com Deus". O último estágio da vida de Jacó foi ser agarrado - Deus realmente o segurou. Ao responder o convite de José para ir ao Egito, Jacó demonstrou claramente não querer tomar nenhuma decisão sem a aprovação de Deus.
         Você consegue lembrar-se de alguns momentos em que Deus se revelou a você? Você se permite encontrar a Deus enquanto estuda a sua Palavra? Que diferença essas experiências têm feito em sua vida? Você é mais parecido com o jovem Jacó, forçando Deus a seguí-lo no deserto de seus próprios planos e enganos? Ou você é mais parecido com o velho Jacó, que apresentou seus desejos e planos a Deus, buscando sua aprovação antes de tomar qualquer atitude?
         Agora vamos imaginar a seguinte cena: Um grupo de cristãos está sentado em volta de uma lareira, numa sala bem grande. Eles estão compartilhando testemunhos sobre suas jornadas espirituais. Um homem barbado fala sobre o vício nas drogas que lhe custou a família e os negócios. Ao chegar ao "fundo do poço", encontrou Jesus numa missão de recuperação de viciados. Com voz baixa, uma mulher bem vestida fala sobre um abuso sofrido no passado e como quase chegou a cometer suicídio. Encontrou Cristo através de um ministério com universitários. Sua vida nunca mais foi a mesma. Um senhor de idade conta como pegou uma Bíblia deixada pelos Gideões num quarto de hotel numa noite triste de uma solitária viagem de negócios.
         Toda jornada espiritual é única, e isso nem poderia ser diferente. Mas, embora cada um de nós tenha suas peculiaridades, todas as histórias de salvação compartilham de elementos comuns. Talvez seja por isso que todos nós nos identificamos com a conhecida história de Jacó, lutando com Deus (ver Gênesis, cap. 32).
         Jacó estava num ponto crítico de sua vida. Anos atrás tinha trapaceado seu irmão mais velho, roubando-lhe o direito e a bênção da primogenitura. Naquele momento, Esaú estava vindo ao seu encontro, trazendo consigo quatrocentos homens. Jacó temia pelo pior e, por isso, orou. Estava em pânico. Enviou uma porção de presentes para tentar acalmar os ânimos de Esaú, mas, ainda assim, estava assustado.
         Então, sozinho, no meio da noite, Jacó encontro um "homem", que não era um homem comum, mas divino (Gen 32.24,30).  O que exatamente aconteceu não está claro. As Escrituras simplesmente dizem que eles "lutaram" (Gen 32.24). O texto nos dá poucos esclarecimentos sobre essa luta divina - o suficiente para sabermos que foi dolorosa, agonizante e difícil. O homem estava inflexível, e Jacó foi persistente.  Quando tudo acabou, Jacó, ferido e cansado, era outro homem. Recebera um outro nome e andaria coxeando para o resto da sua vida. Cada passo dado a partir daquele momento até a sua morte seria uma lembrança do encontro com Deus no vau de Jaboque, o qual mudou a sua vida.
         Não é assim que a salvação chega a cada um de nós, quer no plano temporal, quer no espiritual? É típico do ser humano lutar para mudar as coisas, sem perceber que, no fundo, está lutando com o próprio Deus.  Essa luta não é sobre "coisas", mas está relacionada a aceitarmos ou não a vontade de Deus. À beira do desespero total, clamamos a Deus dizendo: "o que o Senhor realmente quer de mim?" A resposta de Deus é um gentil "eu quero apenas você".
         Mesmo então, deixar isso acontecer é uma coisa difícil. Lutamos, batemos, algumas vezes choramos. É comum terminarmos esse processo com cicatrizes do combate, lembranças eternas da forma como nos encontramos com Deus.  Mas quando finalmente entregamos completamente nossas vidas a Deus, somos transformados por Ele. Recebemos uma nova identidade, tornamo-nos filhos de Deus (João 1.12) e somos feitos novas criaturas (2Coríntios 5.17).
         A salvação é um dom gratuito de Deus, mas ela nem sempre vem de modo fácil. Às vezes, ela chega num encontro difícil com Deus, mas encontrar-se com Deus sempre traz uma recompensa: a bênção de uma vida tocada por Ele.
         Amigo, Deus não está assim tão longe de você, busque-O e terá a verdadeira vida.
 
"BUSCAR-ME-EIS, E ME ACHAREIS, QUANDO ME BUSCARDES DE TODO O VOSSO CORAÇÃO" (Jeremias 29.13).

Autor: Adail Campelo