Procure

Estudo Bíblico Quando o Sacrifício de Jesus Não Vale Nada


"Porque Cristo enviou-me, não para batizar, mas para evangelizar; não em sabedoria de palavras, para que a cruz de Cristo se não faça vã"   1 Corintios 1.17

       Estamos vivendo momentos de extrema ambigüidade no cenário evangélico brasileiro. Todo dia aparece uma “doutrina” diferente, uma nova manifestação de Deus, uma nova “gospel mania”, um novo discurso evangélico, e vez por outra aparecem pessoas com conceitos os mais variados possíveis, que estão se transformando em Doutrinas em muitas igrejas consideradas evangélicas.
       Na verdade muitas pessoas estão invalidando o sacrifício de Jesus em suas vidas, uma vez que dentro de seus conceitos, o cristão se tornou vulnerável a tudo e a todos, principalmente ao diabo, que para muitos se tornou uma criatura poderosíssima, capaz de oprimir e amedrontar, o povo de Deus, tornando-os criaturas frágeis e suscetível as suas investidas. Infelizmente para muitas pessoas o “modismo”, tem se tornado muito mais relevantes do que as verdades básicas do evangelho. Basta o anuncio de um “novo” mover do Espírito Santo, para atrair multidões de pessoas, a procura de uma nova experiência com Deus. A minha preocupação é que estas pessoas estão sendo vitimas de um evangelho desprovido da verdadeira essência espiritual.
       Se você parar um instante para analisar comigo estes fenômenos, você perceberá a seriedade deste alerta. Você já percebeu quantos “modismos” apareceram em nossas igrejas nestes últimos anos? Já surgiram os “objetos ungidos”. Sabonete ungido, fitinha ungida, vassoura ungida. O exagero foi tão grande que eu estive há pouco tempo no Mato Grosso e lá eu vi a grande campanha do shampoo do Sangue de Cristo para purificação da cabeça; e quem quisesse receberia a palmilha ungida para colocar no seu sapato. Veja a que ponto chegaram. Eu não sou contra o uso de simbolismos numa campanha evangelistica; também acho que os símbolos ajudam a materializar a fé das pessoas. Agora eu sou radicalmente contra os exageros, os descasos e a mediocridade de muitas pessoas que chegam ao extremo de transformarem seus cultos somente nestas baboseiras, transformando o sacrifício de Jesus apenas num ato histórico, sem nenhuma relevância espiritual.
       Um símbolo pode ajudar? Sim. Mas o sacrifício de Jesus continua sendo soberano. E nós não dependemos destes artifícios para que um milagre aconteça em nossas vidas. Outro dia um sujeito (não posso chamá-lo de pregador do evangelho), realizando uma campanha evangelistica, pediu que o povo levasse um BIFE para igreja, é exatamente isto que você leu, UM BIFE DE CARNE BOVINA. Segundo ele através da sua oração a doença da pessoa passaria para o bife. Outro pregador eloqüentemente desafiava as pessoas a levarem terra para receber a oração da terra ungida que purificaria as suas vidas.
       É profundamente lamentável este fato, mas coisas piores poderão acontecer se nós continuarmos supervalorizando estas atuações e deixarmos de lado a essência do evangelho que é o sacrifício de Cristo. Você se lembra da mania nacional que se tornou o combate à Nova Era, onde as pessoas deixaram de pregar o evangelho e se preocupavam somente em identificar e combater símbolos que promoviam este movimento. As pessoas se preocupavam exageradamente com a grife da roupa, com a marca do perfume, e até certos produtos de limpeza não podiam entrar em nossos lares, porque segundo eles promoviam o movimento da nova era. Meu Deus! Será que o sacrifício de Jesus é tão insignificante que nós cristãos estamos vulneráveis a um ataque do diabo através de um produto de limpeza que entra em nossas casas ou um perfume que a pessoa usa. Será que a presença de Deus em nossas vidas é tão pequena que somos vulneráveis a um camundongo da Disney chamado Mikey? Por este ponto de vista se um macumbeiro entrar no terreno da sua casa e implantar ali uma obra de feitiçaria, você está morto. Nós estamos delegando um poder ao diabo que não espelha a realidade bíblica.
       Estamos supervalorizando o inimigo, e com isso invalidando o sacrifício de Jesus em nossas vidas através da nossa mediocridade. Num dos livros mais vendidos na atualidade, escrito por uma ex-satanista, a escritora conta à experiência que teve com o ataque de um espírito maligno em sua casa, segundo seu relato, depois de batalhar contra esta entidade em nome de Jesus, não tendo êxito, o Espírito Santo lhe dissera para ungir toda a casa com azeite, e com isto o inimigo teria que sair e não ousaria mais entrar. Será que uma unção com azeite é mais eficaz que o nome de Jesus numa batalha contra potestades. Neste mesmo livro eu percebi uma autoridade delegada ao diabo, antagônica as escrituras sagradas.
       Preste atenção! A bíblia diz:
 
"Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós." Tg 4:7
 
"Mas fiel é o Senhor, que vos confirmará, e guardará do maligno." II Ts 3:3

       O diabo é um inimigo derrotado. Ele foi vencido por Jesus na cruz do calvário.
 
"Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum." Lc 10:19.
 
       Queridos como pode um cristão, que é habitação do Espírito Santo estar vulneravel ao diabo porque usa uma camiseta, ou um perfume de uma determinada marca. Responda-me uma questão. Hoje você está usando roupas, certo? Quem me garante que esta roupa que você está usando neste momento, não foi fabricada por um macumbeiro? Quem me garante que o dono desta confecção não é um satanista? Você estaria vulnerável ao diabo porque está usando esta roupa? E o seu carro, quem o fabricou? Não pode ter sido um empresário a serviço do diabo? E o que dizer a respeito daquelas pessoas que possuem um automóvel utilitário chamado besta. Ou existe exceção à regra. Outra mania que tomou conta das nossas igrejas era a pregação contra a compra a prazo. Os defensores desta idéia pregavam eloqüentemente que o crente que comprasse a prazo ou usasse o cartão de credito, no dia do arrebatamento ficaria na terra, pois caso contrario quem pagaria suas dividas? Eu confesso que a compra a prazo nos dias atuais, com juros altíssimos, realmente não é um bom negócio, e eu não aconselho ninguém a comprar a prazo, mas isto está longe de ser associado à salvação.
       Responda-me mais uma questão.
       A luz que você usa na sua casa, você paga adiantado para Copel? E a água e o telefone que você usa? E se Jesus voltar antes do vencimento? Possivelmente a data do vencimento da sua conta telefônica não seja a mesma da minha. E ai como é que fica? Jesus voltará no vencimento da sua conta ou da minha? Ora, isto é um absurdo. É coisa de quem não tem o que inventar. E o que você me diz de uma comemoração de aniversário. Para os “modistas”, é idolatria. E os desenhos animados, como os da Disney ou os pokemons?
        Meus queridos, isto é muito mais profundo que se possa imaginar.
       O ataque do diabo não tem absolutamente nada a ver com a figura dos personagens, mais sim com as mensagens por eles transmitidas. Mas não adianta se preocupar com os desenhos e continuar assistindo as novelas, que estão encharcadas de mensagens destruidoras de padrões bíblicos, e o que dizer dos filmes que estão recheados de cenas de sexo e violência. Será que o diabo não está querendo tirar o foco das coisas realmente relevantes.
       Você já percebeu que as pessoas levam profundamente a serio estas manias.
       Se nós nos preocupássemos em levar a sério os verdadeiros padrões bíblicos que é o amor ao próximo, o respeito e a santidade, como levamos a serio estas manias, com toda a certeza teríamos resultados muito mais práticos em nossas vidas. Este tipo de coisa não produz mudança na vida de ninguém. Muito pelo contrario. Transforma os crentes, em radicais religiosos.
       Meus queridos, eu não quero apenas combater esses conceitos, a minha intenção é denunciar esses exageros enormes que estão acontecendo e que estão chamando de pregação do evangelho. Você não é mais santo ou menos santo porque comemora uma festa de aniversario do seu filho, ou porque compra ou não a prazo. Santidade não tem absolutamente nada a ver com cumprimento de rituais ou abstinência de alguma coisa. Você também não esta sendo vitima de maldição nem tão pouco está vulnerável ao diabo porque você usa um perfume do boticário, ou uma camiseta de uma determinada marca. Você é lavado e remido pelo sangue do cordeiro. Você está debaixo da proteção de um Deus que é pai, e não legalista. Santidade não é deixar de fazer certas coisas.
        Tem muita gente cumprindo determinações, mas não são santas aos olhos de Deus. O sacrifício de Jesus não vale nada, perde o valor, quando depositamos a nossa confiança em outras coisas a não ser em Jesus. Quando vivemos temerosos, com medo, com dúvida em relação a nossa posição em Deus. O sacrifício de Jesus perde o valor quando a religiosidade, os costumes, os modismos e as manias se tornam mais relevantes em nossas vidas que a cruz de Cristo.
       Jesus morreu na cruz do calvário e este foi um acontecimento impar na historia da humanidade. Não foi um ato isolado, estanque e apenas histórico. Mais foi o mais significante dos acontecimentos, foi o marco da historia, e foi o decreto de liberdade do homem e da derrota do inimigo. Servimos um Deus verdadeiramente poderoso, que está conosco diariamente nos sustentando, nos protegendo e fazendo de nós criaturas semelhantes a ele.

"Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo." I Co 15:57


Autor:   Pr Luis Carlos Alves
Pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular do Jardim Vergínia em Curitiba – PR
Email:  This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.