Procure

Estudo Bíblico De Geração a Geração


Existem algumas coisas que se transmitem dos pais para os filhos. Aparência física é uma delas. Sempre me disseram que eu sou a cara de meu pai! Também é comum ver filhos com o mesmo temperamento de um dos pais.

Alguns seguem a mesma profissão e aprendem os mesmos hábitos. Mas a Palavra de Deus nos ensina que outras coisas também podem ser transmitidas dos pais para os filhos:

O teu nome, SENHOR, subsiste para sempre; a tua memória, SENHOR, passará de geração em geração. (Salmo 135.13)

A Bíblia diz que o conhecimento a respeito de Deus é algo que também pode ser transmitido de geração em geração. Quando isso acontece, Deus é glorificado na relação entre pais e filhos. E é justamente pensando na transmissão da glória de Deus entre as gerações que o apóstolo Paulo ensina em Efésios 6.1-4:

"1 Filhos, obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo. 2 "Honra teu pai e tua mãe" - este é o primeiro mandamento com promessa 3  "para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra". 4 "Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor." Efésios 6.1-4

Quando consideramos o foco da carta aos efésios, vemos que Paulo destaca o plano eterno de Deus de ser glorificado por meio de Cristo e da Igreja. A partir do capítulo 4, o autor bíblico passa a mostrar formas práticas dos cristãos se envolverem com este projeto divino. Uma destas formas é através do relacionamento entre pais e filhos. Deus é glorificado quando o Seu caráter é manifestado através das gerações. Mas para que isso aconteça é necessário que pais e filhos cumpram o seu papel dentro do lar.

1. A GLÓRIA DE DEUS ATRAVÉS DOS FILHOS: reconhecer a autoridade de Deus nos pais (vv. 1-3).

É responsabilidade dos filhos reconhecer o papel de liderança concedido por Deus aos pais dentro do lar. Este reconhecimento envolve duas atitudes:

a. Obediência

1- Filhos, obedeçam a seus pais no Senhor, pois isso é justo.

O texto ensina que a obediência aos pais é algo aprovado por Deus (“pois isso é justo”). E esta é uma das primeiras responsabilidades dos filhos em relação aos pais. Isso acontece porque por trás deste mandamento existe um princípio de autoridade. Deus quer nos ensinar o valor da autoridade. E o melhor ambiente para alguém aprender sobre isso é dentro da família.

Você já percebeu que dentro da própria Trindade existe uma relação de Pai e Filho da mesma forma que numa família existem os pais e os filhos? Além disso, a própria Escritura afirma que temos um Deus que é Pai, e todo cristão é Seu filho, pois foi por Ele gerado (Jo 1.12, 13). Desse modo, nossa relação com Deus é uma relação entre Pai e filhos. Esta é uma das razões pelas quais Deus criou a família, para aprendermos a como nos relacionar com Ele. É no relacionamento com nossos pais que aprendemos a forma como vamos nos relacionar com o nosso Pai celeste.

A Bíblia ensina que toda autoridade foi instituída por Deus. A autoridade dos pais sobre os filhos foi dada por Deus. Assim, quando os filhos não aprendem a honrar os pais, na verdade, eles também estão desonrando o próprio Deus. Aquele que não sabe honrar a seus pais também não saberá honrar a Deus. Deus criou as famílias, entre outras coisas, com o objetivo de nos ensinar como nos relacionarmos com Ele. O filho que não reconhece a autoridade do pai, não irá reconhecer a autoridade de Deus.

O apóstolo João nos ensina um princípio: “aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê” (1 Jo 4.20). Creio que não seria errado estender o texto da seguinte forma: aquele que não consegue amar a seu pai a quem vê, não amará a Deus, a quem não vê. Portanto, se um filho não consegue obedecer seu pai (obediência é uma manifestação de amor pelos pais), não saberá fazer o mesmo com Deus.

Diante deste ensinamento, podemos identificar um grave problema na forma como os pais educam seus filhos em nossos dias. Muitos pais colocam os filhos em igualdade com eles dentro do lar. O resultado disso são filhos que não obedecem aos pais e nem qualquer autoridade, muito menos a de Deus.

A obediência, porém, é para os filhos que estão dentro da casa dos pais, e debaixo de sua autoridade. Quando um filho se casa, ele sai debaixo da esfera de autoridade do pai. Se se trata de um filho homem, ele se torna a autoridade do novo lar. Se se trata de uma filha mulher, ela sai debaixo da autoridade do pai e se coloca debaixo da autoridade do marido. Por isso a Bíblia diz “deixar pai e mãe”. Uma das conseqüências de “deixar” é sair de debaixo de sua autoridade. Do contrário os pais poderiam se intrometer no novo lar, e isso não deve acontecer.

Mas mesmo que você não deva mais obediência, ainda deve honra, que é a segunda forma pela qual os filhos demonstram o reconhecimento a seus pais.

b. Honra

2-"Honra teu pai e tua mãe" - este é o primeiro mandamento com promessa -3-"para que tudo te corra bem e tenhas longa vida sobre a terra".
Honrar significa “dar valor”. Os filhos devem valorizar os seus pais e demonstrar isso através de atitudes práticas. Mas não se trata apenas de um dever. Deus ainda promete recompensas para aqueles que assim procedem. A Bíblia diz que aqueles que honram seus pais vivem mais (longa vida) e melhor (para que tudo te corra bem).

Quantas vezes você já não se meteu em confusão por ter ignorado algum ensinamento dos pais? Quantas pessoas perderam a vida porque fizeram escolhas perigosas, ignorando a direção indicada pelos pais? Mas como podemos valorizar a vida de nossos pais na prática? Vejamos alguns exemplos:

Obedecer  - acatar as ordens de nossos pais enquanto estivermos debaixo da autoridade deles.
Ouvir conselhos - demonstrar interesse pela experiência e sabedoria dos pais.
Respeitar - tratar como alguém importante e especial (coisas do passado - usar "sr", levantar, dar lugar, etc).
Ter paciência (1Tm 5.1) - não podemos corrigir nossos pais como fazemos com nossos filhos ou amigos.
Cuidar (velhice) - reconhecer o valor dos pais mesmo quando velhos e sustentá-los como fizeram conosco.
Falar bem - honramos nossos pais com o que falamos para eles e sobre eles.

Este é o papel dos filhos. Mas para que a glória de Deus seja ainda mais evidente dentro da família, também é necessário que os pais cumpram com a sua responsabilidade.

2. A GLÓRIA DE DEUS ATRAVÉS DOS PAIS: conduzir os filhos ao caráter de Deus (v. 4).

4-"Pais, não irritem seus filhos; antes criem-nos segundo a instrução e o conselho do Senhor.

A palavrar “criar” significa alimentar, cuidar até tornar-se maduro. Esta é a responsabilidade dos pais. Eles devem fortalecer os seus filhos. Muitas coisas podem ser ensinadas pelos pais aos filhos, mas a Bíblia está preocupada com uma delas em especial. Paulo fala sobre criar na “instrução e conselho do Senhor”. Em outras palavras, os pais devem apresentar os seus filhos à Deus e à Sua vontade.

É importante fazer uma observação aqui. O termo “pais” usado no v. 1 é diferente do que é usado no v. 4. A palavra que está no verso 1 quase sempre é usada na Bíblia para se referir ao pai e à mãe ao mesmo tempo. A palavra do verso 4, porém, é muitas vezes usada para se referir aos pais (homens). Se Paulo quisesse se referir ao pai e à mãe, poderia ter usado a palavra do verso 1. Assim, provavelmente Paulo está se referindo apenas aos pais homens. Por que faria isso? Talvez pelo fato de que a tarefa de criar os filhos muitas vezes seja negligenciada pelo homens. Especialmente naquela época em que as mães ficavam em casa cuidando dos filhos. Desse modo, este não seria tanto um problema para as mães, mas estaria mais ligado aos pais. É claro que, em nossos dias, muitas mães fazem o mesmo que os pais, e por isso também a elas pode ser aplicado este texto.

Com efeito, não são poucos os pais que pensam que a criação dos filhos é uma tarefa para as mães. “O papel de um pai é trabalhar para sustentar a casa”, pensam alguns. Não é a toa que vemos famílias desestruturadas em nossos dias!

Mas o que significa provocar o filho à ira? A resposta é simples! Paulo faz um contraste de idéias. Afirma que o contrário de não provocar à ira é criar na disciplina e na admoestação do Senhor. Isso significa que quando os pais não criam os seus filhos desta maneira, estão provocando nele a ira.

Os pais não devem ser negligentes na criação de seus filhos. Isso nos mostra, em primeiro lugar, que a criação dos filhos é de responsabilidade dos pais. Não podemos transferir este dever para babás, professores ou mesmo para a igreja. Todos estes podem ajudar, mas não podem substituir o papel dos pais neste processo.

Lembro-me de uma mãe que queria que eu resolvesse o problema espiritual dos seus filhos num retiro de uma semana. Ela estava colocando sobre mim a responsabilidade que ela, como mãe, não havia cumprido durante anos.

Mas também é possível produzir ira em nossos filhos de outras formas:

“Sufocando” os filhos;
Favoritismo;
Críticas excessivas;
Crueldade

Mas como os pais cumprem esta responsabilidade? O texto bíblico nos responde. Duas coisas são essenciais:

a. Instrução

segundo a instrução...

A palavra usada no texto significa treinar. Este treinamento envolve muito mais do que apenas transmitir o conhecimento, é preciso corrigir o filho para que ele deixe o caminho errado e siga pelo caminho correto. Isso significa que os pais devem disciplinar os seus filhos. Veja como a Bíblia usa esta mesma palavra em outro texto:

Hebreus 12.5-6: 5-Vocês se esqueceram da palavra de ânimo que ele lhes dirige como a filhos: Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, 6-pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho".

O mesmo termo é claramente usado em Hebreus para se referir à disciplina que Deus exerce sobre Seus filhos. A mesma coisa deve ser feita pelos pais dentro dos lares. Como pais, podemos fazer isso através de ensino bíblico e de nosso exemplo pessoal. Também a disciplina física está incluída aqui (Provérbios fala muito sobre isso).

b. Conselho

...e o conselho do Senhor.

A palavra conselho é traduzida em outras versões como “admoestação”. Esta palavra é abrangente e inclui alguns significados:

Advertir (1 Co 10.11) – Alertar quanto aos riscos e perigos do mundo.
Aconselhar (Cl 3.16) – Não se trata do conselho do pai, mas do conselho do Senhor. Você precisa orientar seu filho de acordo com a Bíblia.
Confrontar (1 Ts 5.14) – Mostrar aquilo que o filho está fazendo de errado.

Para tudo isso, Deus nos deixou o instrumento perfeito: Sua Palavra.

2 Tm 3.16-Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para correção e para a instrução na justiça,

O que você está transmitindo para as gerações futuras por meio de seu filho? Pais, uma ótima forma de você impactar o mundo mesmo após a sua morte é através de seus filhos. Filhos, a forma de você viver uma vida plena, que glorifica a Deus, é tendo a atitude correta para com seus pais.

Meu desejo é que sua família reflita a glória de Deus no relacionamento entre as gerações!

Autor: Ivis Fernandes