Procure

Tempo da Graça


Ao longo dos séculos Deus vem tratando com a humanidade de formas diferentes, visando cada vez mais facilitar a salvação para a mesma; contudo, em todas estas dispensações trazidas por Deus, sempre, e invariavelmente, alguma atitude do ser humano será requerida.

A Bíblia nos apresenta 39 (trinta e nove) livros chamados de Antigo Testamento, ou aliança, e 27 (vinte e sete) livros do Novo Testamento.

Da antiga aliança, vem-nos a revelação que, sem derramamento de sangue não há remissão de pecado, daí, vieram os inumeráveis sacrifícios de animais que, periodicamente eram realizados por aqueles que adentravam a fé judaica.

O tempo dos rituais judaicos hoje, nenhum valor tem para aqueles que se tornaram Igreja, ou seja, discípulos de Jesus Cristo, e em virtude de o Judaísmo não ser uma falsa religião, conforme os relatos de Romanos 2.12 – 13, fica esclarecido que, a Antiga Aliança (Lei), pode ser considerada a vontade permissiva de Deus para os Judeus, contudo, a Nova Aliança (Cristo), e a vontade absoluta para o mundo.

Podemos com clareza bíblica ver a quebra (cumprimento) da Antiga Aliança, e a instituição da Nova. Na Antiga Aliança era pedido o sacrifício de um cordeiro para que o perdão do pecado fosse realizado. Cada um receberia o seu perdão pessoal, mediante a sua própria oferta. Contudo em João 1.29, João Batista aponta para Cristo e diz, eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Entenda bem que, o relato abrange aos confins da terra, Ele tira o pecado do MUNDO. Aquilo que Deus nunca permitiu ser humano algum realizar, agora, Ele mesmo realizará pela humanidade, ou seja, o sacrifício de um ser humano (Jo.3.16); e não esqueça do que é dito. Ele é o Cordeiro de Deus, ou seja, é o próprio Deus quem oferece a oferta de sacrifício eterno.

Conforme os fatos inquestionáveis, fica instituído o tão comentado Tempo da Graça, ou seja, o favor imerecido de Deus para com os homens, onde o Apóstolo Paulo deixa sua contribuição gloriosa para que nosso entendimento não vacile (Romanos 3.21 – 26); e ainda em Rom.6.23, o mesmo mostra seu entendimento quando afirma ser Cristo o dom GRATUITO DE DEUS. Por ser Cristo o dom gratuito, é que hoje nos encontramos no tempo da Graça, o favor imerecido.

Veremos ainda com toda a clareza nas palavras do Senhor Jesus, que toda Lei precisaria ser cumprida antes de sua abolição, pois a mesma também, como instituição divina, jamais poderia ser desconsiderada, a menos que fosse cabalmente cumprida.
Em Mateus 5.17 – 18, o Senhor Jesus, ao declarar ter vindo para cumprir a Lei, deixa evidente que o Apóstolo compreendeu o tempo da Graça em Sua pessoa, e mais uma vez ratificamos a declaração de João 1.29, que Cristo seria o grande sacrifício, que encerraria todos os rituais judaicos.

Em Mat. 26.28, Marc. 14.24, e Luc. 22.20, Jesus demonstra ser o Mediador de uma Nova Aliança no seu próprio sangue.(Leitura indispensável – Hebreus 9.11 – 21 / 12.24 / 13.20)

Uma vez compreendido a instituição do tempo da Graça, passaremos a demonstrar nesta Nova Aliança, qual a parte cabível ao homem, uma vez que já não resta mais sacrifício algum a ser feito.

Uma vez que todo sacrifício já tenha sido realizado, e sabendo que nenhum de nós nasce predestinado a nada, temos, afinal de contas, que descobrir qual parte nos cabe nesta Nova Aliança; pois se estamos falando de Aliança, isto que dizer que duas partes estão em questão, pois normalmente uma Aliança tem que envolver no mínimo dois aspectos, ou ainda dois interesses.

Em Efésios 2.8 – 9, fica evidenciado a parte que nos cabe; pois está dito pela Graça ( favor imerecido de Deus por nós, no sacrifício de Cristo) somos salvos, contudo revela, mediante a fé. Isto quer dizer que, a minha fé deve estar direcionada ao favor que Deus por mim instituiu na pessoa e sacrifício de Cristo. E ainda está escrito que isto não vem de nós, ou seja, jamais teríamos como providenciar-nos um veiculo de salvação tão poderoso e eficaz.

Em Romanos 5.1 – 2, Paulo, mais uma vez evidencia que a nossa atitude de fé nos permite adentrar a Nova Aliança, para em fim, desfrutarmos do tempo da Graça; onde também deixa evidenciado que somos justificados mediante a fé.

Apenas a titulo de encerramento queremos lembrar Hebreus 11.6, que afirma que sem fé e impossível agradar a Deus; ou seja, se não tivermos fé de que o sacrifício de Cristo seja único e suficiente para nossa remissão, jamais agradaremos a Deus, e assim, não desfrutaremos da sua graça. Mediante a fé no tempo da graça poderemos ser tudo o que quisermos para ver a tremenda glória de Deus.

Este tempo da Graça é também conhecido como dispensação da fé; pois o Senhor Jesus deixou claro que, se tu creres verás a Glória de Deus (Jo.11.40). Em fim, a parte de Deus está consumada, agora resta-nos fazer a nossa parte. Lembra-te que Fé é a ação do seu livre arbítrio. Portanto creia, e tu verás a glória de Deus.

|  Autor: Pr Tupirani H.Lores  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |