Procure

Estudo Bíblico Pai Nosso em Sete Lições


         “Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu. O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos induzas a tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém!”. Mt 6:9-13.

Lição 1.

         Para ter uma vida abençoada, é preciso santificar o nome de Deus (V.9). Nome simboliza o individuo, sua natureza seu ser e atributos. “Santificado seja o seu nome”. Precisamos levar uma vida pura de forma que o mundo veja a santidade do nosso pai em nossa vida. Jesus enquanto viveu aqui na terra nos deu o exemplo de pureza e dignidade. As escrituras nos garantem que ele honrou o pai, pois é o próprio pai que dá testemunho do seu filho.
         “E eis que uma voz do céus dizia: Este é o meu filho amado, em que me comprazo.” MT 3:17.
         Deus olhou do céu e disse: “A vida do meu filho me dá prazer”. Será que a nossa vida tem dado prazer ao nosso pai celestial? temos santificado o seu nome? Deus espera que como filhos o honramos, para que o seu nome seja glorificado através da nossa vida. “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que veja as vossas boas obras e glorifiquem a vosso pai, que está nos céus”. Mt 5:16.
         Assim como temos zelo pela reputação do nosso nome e não queremos que a nossa reputação seja manchada, pois envolve a nossa pessoa, ser, e caráter e não o nosso nome de batismo. Da mesma forma precisamos zelar pela reputação do nome de Deus.

Lição 2.

         Viver sob o governo de Deus (V.10). O termo reino é Basiléia no grego que significa: Soberania, poder real, domínio etc. Quando oramos “venha a nós o teu reino” estamos dizendo que aceitamos o domínio de Deus em nossos corações. Se o reino ou domínio de Deus estiver em nossos corações, sua palavra será obedecida. Existe um outro reino administrado pelo diabo e seus demônios e neste reino impera o ódio, opressão, sofrimento, doenças, miséria. Um reino de mentiras, engano, desgraças. Deus quer reinar em nossa vida.
         “Porque o reino de Deus não é comida e nem bebida, mais justiça, e paz, e alegria no Espírito santo”. Rm 14:7.
         Para Cristo reinar em seu coração é preciso aceita-lo como salvador, pois a partir deste momento Deus passa a habitar em você e governar a sua vida. A partir do momento que Deus começa a reinar você passa a desfrutar de uma vida feliz, não estou falando de religião mais de reino que Jesus veio implantar na terra. “Interrogados pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino de Deus, respondeu-lhes e disse: O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo ali! Porque eis que o reino de Deus esta entre vós”. Lc 17:20. Jesus ensinava ao povo sobre o reino, pois queria fazê-los participante dele. Jesus foi interrogado pelos fariseus sobre quando viria o reino divino. Eles achavam que se tratava de um reino material na terra. Mas Jesus lhes respondeu: “O reino de Deus está entre vós (MT 17:21) não se tratava de um reino visível mais invisível. Se você permitir que Deus governe a sua vida, você desfrutará diariamente de todos os privilégios que este reino tem para oferecer.

Lição 3.

         Fazer a vontade de Deus (V.10). Se o Reino ou domínio de Deus estiver presente em nossos corações, a vontade de Deus estará sempre em primeiro lugar. Jesus disse que a vontade de Deus deve ser feita na terra como é feita no céu. Deus não quer seus filhos façam a sua vontade por obrigação, mais em amor. A vontade de Deus é boa, agradável e perfeita.
         “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformais-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Rm 12:1-3.
         O salmista David recebeu o titulo de o “homem segundo o coração de Deus” e também ser tornou o maior adorador da bíblia porque tinha prazer em fazer a vontade de Deus. “Agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu; dentro do meu coração, está a tua lei.” Sl 40:8. Deus quer derramar suas bênçãos sobre todos aqueles que fazem a sua vontade.

Lição 4.

         Reconhecer que depende de Deus (V.11). Quando Jesus nos ensinou a orar pedindo ao Deus pai o pão nosso de cada dia, estava afirmando o quanto dependemos de Deus, do seu cuidado e amor.
         “Confia os teus cuidados ao senhor, e ele te susterá; jamais permitirá que o justo seja abalado”. Sl 55:22.
         “Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso pai celeste sabe que necessitais de todas elas”. MT 6:31, 32.
         “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós”. I Pe 5:7. Quando nos entregamos aos cuidados de Deus, reconhecendo nossa dependência dele, ele proverá tudo o que necessitamos (Mt 6:25-34).

Lição 5.

         Perdoar para ser perdoado (V.12). “O perdão é um catalisador que cria ambiência necessária para uma nova partida, para um reinicio”. (Martim L. King).

O perdão é o método pelo qual Deus opera. Perdão na língua grega tem três palavras:
         1. APHIEMI- significa ser redimido da punição que lhe era devida; completa remoção da ofensa.
         2. APHESIS- significa exoneração, liberação.
        3. APOLUO- significa ser solto, ir embora, não prender, não reter.

A duas situações a qual devemos perdoar:
         5.1- Quando estivermos na condição de ofensor- MT 5:23.
         5.2- Quando estivermos na condição de ofendido- Lc 17:3, 4.

         A grande lei do perdão: “perdoai e sereis perdoado” em outras palavras, á medida que você solta o outro, você é solto. A medida que você prende o outro, você e preso também, e as bênçãos de Deus são retidas. Jesus ensinou que não a limites para a ação perdoadora.
          “Acautelai-vos. Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe. Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: Estou arrependido, perdoa-lhe”. Na minha trajetória de vida cristã tenho conversado e ajudado pessoas que tem dificuldade para perdoar, até tentam, mas não conseguem. Tenho visto e conversado com pessoas ressentidas e profundamente magoadas; o filho (a) que não consegue perdoar o pai ou a mãe e vice-versa; o marido que não consegue perdoar a esposa e vice-versa. Dentro das nossas igrejas tenho visto pessoas que não conseguem perdoar as faltas do próximo (Sl 133).
         “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também o vosso pai celeste vos perdoará. Se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso pai vos perdoará”. MT 6:14, 15.
         Jesus contou a parábola do credor incompassivo para nos ensinar o valor do perdão. Um servo devia ao rei dez mil talentos e teve a sua divida perdoada, mas não perdoou a dívida do seu conservo, que lhe devia uma pequena quantia de cem denários. Quando o rei descobriu, ficou furioso e mandou castigar o servo mal (MT 18:23-35).
         “Assim também meu pai celeste vos fará, se do intimo não perdoardes cada um a seu irmão”. Mt 18:35.
         “O fraco jamais perdoa, o perdão é característica do forte”. (Mahatma Gandhi).
         Se não queremos perdoar a falta do próximo, também não deveríamos pecar.

Lição 6.

         Resista à tentação (V.1). A tentação certamente virá para nos por a prova, e testar nossa fidelidade a Deus. Jamais podemos brincar com a tentação, mas devemos orar como Jesus ensinou para não sermos levados ao poder devastador da tentação. A bíblia nos adverte que a missão do Diabo é matar, roubar, e destruir (Jo 10:10) ele coloca a isca para nos atrair como um pescador ou um caçador a sua presa, e depois nos destruir.
         “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge, procurando alguém para devorar”. I Pe 5:8.
         “Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então a cobiça, depois de haver concebido, dá a luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte”. Tg 1:14, 15.
         “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar”. I Co 10:13. Não estamos imunes a tentação, mais se estivermos em Cristo, e se a sua palavra estiver em nosso coração (Sl 119:11) triunfaremos, e o nome do senhor nosso Deus será glorificado.

Lição 7.

         Fugir do mal (V.13). Sabemos que o mal é orquestrado por Satanás o nosso adversário. Temos que orar pedindo a Deus discernimento espiritual para que o mal possa ser identificado. Fuja da inveja, mentira, fofoca, prostituição, orgulho e amizades que podem nos destruir, entre outras coisas. “Abstende-vos de toda forma de mal”. I Ts 5:22. Se estivermos no esconderijo do altíssimo (Sl 91) seremos cobertos pela sombra protetora do onipotente Deus, e nenhum mal chegará a nossa vida.

Autor: Pr. Marcos Martins