Procure

Onde Está Satanás?


"E disse-lhes: Eu via Satanás, como raio, cair do céu." [Lucas 10:18].
 
É interessante observar as várias opiniões dos comentaristas bíblicos acerca da atual localização de Satanás e as restrições que limitam sua esfera de atividade. Entre elas está a opinião que quando o Diabo e seus anjos malignos pecaram, Deus os baniu do "terceiro céu" — que, de acordo com a crença judaica tradicional, é onde Deus e os santos anjos residem e para aonde o apóstolo Paulo acreditava ter sido transportado em certa ocasião (2 Coríntios 12:2). (Embora Paulo não se refira a si mesmo na passagem, é claro a partir dos pronomes pessoais usados, que ele está falando de sua própria experiência). Segundo essa teoria, a presença imediata de Deus está no terceiro céu, o segundo céu é o espaço sideral onde o sol, a lua e as estrelas estão situados, enquanto que o primeiro céu é a atmosfera do nosso planeta.

Portanto, a questão é esta: Satanás e seus anjos foram lançados do terceiro para o segundo céu, ou podem eles ir livremente de um para o outro? Vamos ver o que as Escrituras dizem sobre o assunto e tentar ver o que se encaixa aqui.

Nosso subtítulo é uma citação do Senhor Jesus Cristo em Lucas 10:18 referente a Satanás, "o deus deste século" (2 Coríntios 4:4), que foi dada como resposta ao seguinte comentário feito pelos setenta discípulos enviados em duplas para testemunhar a Israel:

"E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam." [Lucas 10:17].

Alguns compreendem que a resposta do Senhor significa que ele viu Satanás ser lançado do céu à Terra em algum ponto no passado e, para apoiar essa posição, usam os seguintes versos:

"Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!" [Isaías 14:12].

"E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos; mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele." [Apocalipse 12:7-9].

Entretanto, estou convencido que Satanás não foi banido quando se rebelou contra Deus, porque, quando nos voltamos para as Escrituras e prestamos atenção ao contexto das declarações no Apocalipse sobre aqueles eventos em que Satanás tomará parte — essa teoria em particular não parece estar correta.

Como Jesus Cristo é Deus na pessoa do Filho, e o maior profeta que já caminhou neste mundo, por que não podemos interpretar ambas suas declarações, mais a do profeta Isaías, relativas à queda de Satanás dos céus, como sendo proféticas em sua natureza? Considere os seguintes comentários sobre Lucas 10:18, tiradas do Comentário Bíblico de Jamieson, Fausset e Brown:

"Eu via — Como muito da força dessa gloriosa sentença depende do belo tom de senso indicado pelo tempo imperfeito no original, ela deveria ter sido traduzida assim: 'Eu estava vendo Satanás como um raio cair do céu', isto é, 'Segui vocês em sua missão e observei seu triunfo; embora estivessem maravilhados em ver os demônios se sujeitarem diante de vocês em meu nome, um espetáculo mais grandioso estava se abrindo à minha vista; de forma tão súbita quanto um raio cai do céu na terra, Satanás foi visto caindo do céu! Quão admirável é que, pela lei da associação que conecta uma parte com o todo, parece que aqueles pequenos triunfos dos setenta não somente trouxeram vividamente diante do Redentor o resultado final total de Sua missão, mas a compactaram em um momento comparável com a rapidez de um raio!" [Ênfase minha; tradução nossa].

Outra razão por que estou convencido que os dois versos citados anteriormente ainda não foram cumpridos é porque o último (Apocalipse 12:7) diz que Satanás e seus anjos foram precipitados na Terra! O contexto das visões do apóstolo João registradas naquele capítulo refere-se não somente aos eventos no passado de Israel (o nascimento do Messias e a tentativa de Satanás de matá-Lo), mas também enfatiza alguns dos problemas que afetarão Israel durante o período da Tribulação. Por causa do contexto em que elas estão descritas, estou convencido que somente então Satanás e seus demônios serão lançados do céu e ficarão restritos à Terra.

No Capítulo 12, versos 1 a 5, encontramos uma sequência de eventos em que a mulher (Israel) dá à luz ao seu filho (Jesus Cristo), enquanto o dragão vermelho feroz (Satanás) aguarda para devorá-Lo. Mas no verso 5, a criança destinada a ser o Messias/Rei de Israel nasceu apesar dos melhores esforços de Satanás de matá-Lo prematuramente e viveu tempo o suficiente para completar a missão que Deus tinha preordenado para Ele (Atos 2:23). Então, após oferecer a Si mesmo como o sacrifício perfeito pelo pecado Ele ascendeu de volta ao Pai no céu:

"E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça. E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz. E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas. E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho. E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono." [Apocalipse 12:1-5].

Então, tendo em mente que o contexto de toda a passagem no capítulo refere-se a Israel, o próximo verso (6) salta para além da Época da Igreja para descrever como Deus proverá proteção para Seus eleitos entre o povo de Israel durante a última metade do período da Tribulação — a "Grande Tribulação" dos três anos e meio finais. Um bom número de estudiosos das profecias bíblicas acredita que esse lugar de proteção poderá ser a antiga cidade de Petra, na Jordânia:

"E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias." [Apocalipse 12:6].

Em seguida, estão os versos 7-9, citados anteriormente:

"E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos; mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele." [Apocalipse 12:7-9].

Primeiro de tudo, devemos observar que o verso 7 na versão Amplificada inicia com a palavra "então" (que é uma escolha legítima para traduzir a partícula grega kai) indicando que a guerra irrompe no céu em um ponto relativo ao que ocorreu no verso 6. Acredito que um exame minucioso do contexto geral mostrará que o efeito dessa guerra no céu será a razão por que a "mulher" é forçada a fugir para salvar sua vida. Além disso, a "abominação que causa desolação" (Daniel 11:31 e 12:11), que os estudiosos conservadores da Bíblia geralmente consideram que ocorrerá na metade do período da Tribulação, definitivamente parecer ser a reação explosiva de Satanás a alguma coisa que ocorrerá dentro dessa janela de tempo específica. Portanto, estou convencido que a "guerra no céu" que resultará na expulsão de Satanás será o gatilho que levará o Anticristo possesso por demônios a revelar sua verdadeira identidade e a lançar a fúria total de sua aversão sobre Israel, bem como sobre tudo o que for santo na terra. Enquanto eu estava a pensar sobre isto, ocorreu-me que em parte alguma as Escrituras dizem que o Anticristo será possesso por Satanás somente. Exatamente como o maníaco gadareno de Marcos 5:9 era possesso por uma "legião", acho inteiramente possível que o Anticristo seja possesso por uma legião de demônios, junto com Satanás!

Voltando ao Apocalipse 12, o verso 10 diz:

"E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite." [Apocalipse 12:10; ênfase adicionada].

As palavras "e" e "agora" no verso acima (tomadas à luz de, e em conjunção com, a matéria contextual de Apocalipse 12:6 e 14) apontam para o tempo desse evento ocorrer após o verso 5 como sendo no ponto mediano do Período da Tribulação? (Isto é, quando seguimos a posição geralmente aceita dos estudiosos conservadores das profecias sobre uma ocorrência da "abominação da desolação" na metade do período).

É quase impossível determinar com absoluta certeza a sequência cronológica exata desses eventos, mas posso sugerir a seguinte estimativa:

Os versos 6 e 14 estabelecem uma "janela" geral de ocorrência como sendo na metade do período da Tribulação (ou talvez um pouco antes da metade).

O "e" do verso 7 estabelece um marcador relativo para o início da guerra no céu.

O "e" e "agora" do verso 10 estabelecem um marcador relativo para o fim da guerra no céu que resulta na expulsão de Satanás e de seus anjos.

O verso 12 estabelece o senso de extrema urgência e fúria que Satanás sentirá e expressará depois que a expulsão ocorrer.

Os versos 13 e 17 estabelecem a direção em que a ira de Satanás será focada — até que Jesus Cristo retorne para dar um basta a ela.

Sendo este o caso, o acusador dos irmãos terá a permissão de continuar atacando o povo de Deus — e ao mesmo tempo continuar entrando no céu — até que guerra entre os anjos ocorra e a permissão de entrar no céu seja revogada para ele. Somente então a entrada será cortada, como consequência de sua expulsão pelo arcanjo Miguel e pelos santos anjos. Quando isso finalmente acontecer, o Diabo ficará furioso, pois seu tempo no "relógio do jogo" estará acabando! Em uma fúria cega devido ao seu ódio contra Deus, ele utilizará seu grande poder sobrenatural para tentar destruir o povo de Israel em particular, e os gentios eleitos em geral, como vemos descrito nos seguintes versos:

"E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte. Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo. E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem. E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente. E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar. E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca. E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo." [Apocalipse 12:11-17; ênfase adicionada].

Estou especialmente intrigado pelo verso 13 por causa da velha frase: "E quando o dragão viu que fora lançado na terra...". Para mim, isso parece indicar que, além de ser lançado do céu, sua capacidade sobrenatural de transcender o tempo e o espaço será perdida. Em um instante, o deus deste século terá suas asas cortadas, por assim dizer, com a esfera de sua atividade totalmente limitada à Terra. Assim, seu poder e fúria malignos serão concentrados sobre os objetivos destrutivos pré-ordenados por Deus como julgamento sobre Israel apóstata, bem como sobre o resto do mundo.

Então, voltando um pouquinho atrás, observamos que o verso 4 contém uma frase sobre o "dragão vermelho" que tradicionalmente tem sido interpretada como uma indicação que seus demônios (um terço dos anjos) o seguiram na rebelião e foram banidos do céu e lançados na Terra como consequência — desse modo reforçando a crença que o banimento ocorreu quando eles se rebelaram:

"E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.".

À primeira vista, a colocação dessa frase dentro da sequência de eventos pode parecer validar a crença referente à expulsão deles junto com Satanás, ficando restritos à Terra imediatamente após terem pecado. Mas embora eu também acredite que a frase se refira aos anjos caídos, ela diz claramente que a cauda do dragão vermelho os arrastou e lançou sobre a terra. Portanto, atribuir essa ação a Deus e aos seus anjos parece ser, como dizem os advogados nos tribunais, "assumir fatos que não estão na evidência".

Observe também que o verso 4 conclui com a seguinte frase:

"... e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho." [Apocalipse 12:4b].

Na narrativa total, a ênfase está na tentativa de Satanás de matar o bebê Jesus. Portanto, pode parecer ilógico concluir que a primeira parte do verso se refira ao Diabo ajuntar todos os anjos caídos e enviá-los à Terra em um esforço de ajudá-lo a se opor ao plano de Deus de um Salvador? Afinal, enfrentar atividade demoníaca extrema foi uma das marcas do ministério terreal do Senhor! Mesmo após o diabo ser derrotado pela morte de Cristo na cruz, parece óbvio que até hoje ele ainda tenha acesso à presença de Deus, pois continua a trazer acusações contra os irmãos "de dia e de noite". (veja Apocalipse 12:10, citado anteriormente). Sabemos também que ele tinha acesso à presença de Deus no passado, pois o livro de Jó diz que Satanás vinha à presença de Deus — um fato que parece contradizer a teoria que ele e seus anjos foram lançados na Terra imediatamente após terem se rebelado:

"E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles. Então o Senhor disse a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra, e passear por ela." [Jó 1:6-7].

Entretanto, as objeções contra Satanás poder entrar no céu hoje são compreensíveis, pois aqueles que mantêm essa posição acreditam que a seguinte passagem diz que Deus não pode tolerar o mal diante de Sua santa presença:

"Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal, e a opressão não podes contemplar. Por que olhas para os que procedem aleivosamente, e te calas quando o ímpio devora aquele que é mais justo do que ele?" [Habacuque 1:13].

A lógica é a seguinte: Se o céu é onde Deus, que é infinitamente santo, reside, como pode Satanás, a própria personificação do pecado, ter a permissão de vir diante da presença de Deus? Mas precisamos ter em mente que Deus é onipresente, o que significa que não há lugar algum em que Satanás possa estar longe da presença de Deus! Por essa razão, estou convencido que a resposta se encontre nos princípios da subordinação e prestação de contas. O diabo é um buldogue preso a uma longa corrente, e que somente vem quando é chamado. Seu paradeiro e atividade quase exclusivos de "rodear a terra e passear por ela." [Jó 1:7b], e acusar os irmãos de dia e de noite diante de Deus [Apocalipse 12:10] não requerem sua presença constante no céu. Entretanto, a entrada do diabo e de seus anjos no céu ainda é possível, pois, com base em Jó 1:6-7, Deus pode chamá-los a qualquer momento para que prestem contas de suas ações. Portanto, essa entrada no céu terá de permanecer aberta até aquele ponto no futuro, quando um ato vil de traição a fará ser revogada. Caso contrário, não poderia haver a "guerra no céu" no contexto encontrado em Apocalipse 12.

Por que você supõe que eles serão tão estúpidos ao ponto de tentarem derrubar Deus? Acredito que possa ser devido ao ego colossal de Satanás sendo acumulado pelo aparentemente bem-sucedido regime do Anticristo na terra. Fortalecido por esses triunfos, ele poderá tentar executar as cinco decisões citadas em Isaías 14:13-14 ("eu subirei ao céu, eu exaltarei o meu trono, eu me assentarei, eu subirei... eu serei semelhante ao Altíssimo") por meio de um ataque via "porta dos fundos" aos bastiões do céu! Aproveitando-se de um portal aberto para ele desde a criação, ele entra sem ser chamado e tenta armar um "golpe palaciano". Muito provavelmente, todos os subterfúgios e estratégias imagináveis terão sido experimentados até aquele tempo e então, em um choque cataclísmico entre o bem e o mal, a onipotência de Deus finalmente será testada — sem sucesso, é claro. Mas, que nunca se diga que o Diabo não crê no "poder do pensamento positivo", porque, ao fim do reinado milenar de Cristo, ele será libertado de sua prisão no poço do abismo por um tempo suficiente para conseguir organizar um imenso exército de descontentes (Apocalipse 20:7-10). Entretanto, o resultado dessa malfadada aventura será pior para ele do que da primeira vez que tentou, pois ele será lançado no lago de fogo para sempre!

Satanás definitivamente caiu da graça quando a iniquidade foi encontrada nele. Mas, julgando pelos eventos registrados em Apocalipse 12, não parece que ele ou seus anjos malignos já tenham sido banidos para a Terra, ou que serão, até que sejam lançados para fora e privados de seu antigo estado de existência espiritual. Essa ação drástica provavelmente os reduzirá a uma única opção — a de possuir seres humanos naquilo que provará ser a tentativa fútil final de ofender Deus aniquilando Israel. Essa possibilidade baseia-se em evidências nas Escrituras que parecem ensinar o princípio que, como espíritos desencarnados, os demônios são levados a possuírem alguém — mesmo que seja somente uma vara de porcos (Lucas 8:32). Como o Anticristo será Satanás encarnado por meio de possessão demoníaca, pessoalmente acredito que a seguinte informação encontrada na visão de Isaías sobre Lúcifer nos dê alguma compreensão sobre o resultado daquela tremenda "degradação":

"Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o homem que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos?" [Isaías 14:16].

Embora o verso 4 de Isaías 14 inicie a passagem referenciando o "rei de Babilônia" (desse modo fazendo alguns concluírem que o restante refira-se a esse mesmo rei humano), a narrativa rapidamente muda seu foco e, a partir do verso 12 até o 17, descreve um ser sobrenatural que estou convencido ser o "querubim ungido" (verso 14) de Ezequiel 28, referido como "o rei de Tiro" no verso 12. Em ambos os casos, a natureza da narrativa expandida claramente transcende qualquer coisa que poderia se referir a um mero mortal — aparentemente indicando que em cada caso um homem está possesso por um ser sobrenatural. Portanto, podemos descartar a possibilidade de ambas serem rápidas visões proféticas do vindouro anticristo?

Em minha imaginação, quase posso ver o "homem" de Isaías 14:6 estirado no chão com o pé do triunfante Jesus Cristo sobre seu pescoço! Então, após os que estiverem olhando virem a cena e considerarem seu significado, Satanás será exorcizado, amarrado e lançado no poço do abismo. Subsequentemente, os "reis de Babilônia e de Tiro", personificados pelo Anticristo, serão reduzidos a um amontoado de cinzas na presença das testemunhas. As duas passagens que fornecem esses detalhes são as seguintes:

"Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Pela multidão das tuas iniquidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te veem. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá.".

Nota: O "comércio" será o instrumento de controle que o Anticristo colocará sobre as pessoas durante seu reinado. Além disso, em alguns casos, a palavra hebraica miqdash, traduzida como "santuários" é usada para se referir aos locais de falsa adoração. Poderia seu uso aqui se referir aos seres humanos que foram possessos? Afinal, os crentes em Jesus Cristo são chamados de santuários do Espírito Santo.

"Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte. Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o homem que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos? Que punha o mundo como o deserto, e assolava as suas cidades? Que não abria a casa de seus cativos?" [Isaías 14:12-17].

Se colocarmos essa passagem em paralelo com Ezequiel 28:12-19, a queda de Satanás do céu e sua precipitação na Terra também ocorrerão na metade da Tribulação. Então, após a batalha do Armagedom, o corpo humano do Anticristo será lançado no Seol/Hades. Precisa haver uma distinção entre Satanás e o Anticristo humano, pois o primeiro será lançado no "poço do abismo" durante mil anos, para depois ser liberto por um breve período de tempo. (Apocalipse 20:3). Após sua tentativa final de tomar o lugar de Deus, ele será lançado no lago de fogo (Apocalipse 20:10) — não no Seol/Hades.

Portanto, parece claro que a cabeça do Diabo é grande demais para o minúsculo chapéu que ele está usando e seu lema deve ser "Não acabou até que tenha terminado!" Aparentemente, ele acha que conseguirá vencer a guerra no fim e, por alguma razão, Deus continua permitindo que ele persista. Embora eu certamente não tenha a pretensão de conhecer a razão, pode ter algo a ver com o seguinte verso em Efésios:

"Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus." [Efésios 3:10; ênfase adicionada].

Autor: Pr. Ron Riffe