Procure

O Segredo de Moisés Revelado em João


Então disse Moisés: Se a tua presença não vai comigo, não nos faças subir deste lugar. (Ex. 33:15)

Quantas vezes fazemos deste profundo pedido que Moisés fez ao Senhor em oração de uma simples citação diária? Moisés orava desta forma por amor e por que era vital a presença de Deus pra sua vida, por isso que não queria ir a nenhum lugar, dar um passo se quer se Ele não sentisse a presença de Deus, ele sabia que para ele, era o sentido da sua vida, a certeza da companhia de Deus dentro dele.

Sabemos quando alguém está presente, principalmente quando conhecemos bem aquela pessoa de andar com ele, de viver com ela, conhecemos até a sua chegada, e o cheiro que ela tem.

Da mesma forma era assim com o Senhor e Moisés, a presença de Deus transformava o deserto onde Moisés estava num jardim secreto, onde ele tinha acesso à beleza de uma atmosfera do céu que ninguém conhecia isso é o que dava forças e vigor para o seu coração a continuar sua jornada.

A presença de Deus em nossas vidas faz toda a diferença, pedimos a presença de Deus e até às vezes repetimos o que Moises falou, mas apenas como uma declaração por não orarmos, nem gastamos tempo conversando com o Senhor ao ponto de só nos levantarmos quando nos sentirmos fortalecidos, inspirados pelo Espírito de poder, que dá graça e sabedoria para sabermos que direção tomar, aonde irmos..., como sabermos se ele está presente? Não podemos ver Deus com os olhos naturais, mas podemos vê-lo no nosso espírito, e sua presença, podemos senti-la.

Não estou falando da Onipresença de Deus que o faz presente em todos os lugares ao mesmo tempo, estou falando da presença Onipotente dele que transforma vida, que muda o nosso interior, que preenche nossa vida e trás o amor de Deus ao nosso coração. É dessa presença que estou falando.

Moisés gastava tempo no amado isso foi tão real que o Senhor mandou Moisés construir um local confortável para Moisés para que ambos se deleitassem na presença um do outro.

Deus também tem prazer quando estamos em sua presença, ele se deleita em nós, porque através das nossas vidas ele ver a vida do seu Filho, ele sente o cheiro do seu Filho Jesus Cristo em nós.

Deus também nos conhece pelo nome!

Na casa dos meus pais, somos 3 filhas, e todas nós temos o costume de chegar ao portão de casa e de lá de longe, logo no começo do portão gritar o nome de nossa mãe, e o amor dela e a intimidade que há entre nós faz com que ela de longe venha discernir qual das três está chamando; ela conhece o tom de nossa voz, e ela nos chama pelo nome nos mandando entrar e muitas vezes, na maioria, nos recebe com um forte abraço e um grande beijo.

Da mesma forma é o Senhor, e o que deve nos alegrar é que mesmo em meio a tantos que clamam, quando chamamos por ele, saberá quem está chamando, quem está entrando, somos singular a nossa intimidade com ele vai colocar em nosso chamado, no tom da nossa voz, a sinfonia do amor quando clamarmos pelo seu Nome e de longe, dos altos céus do nosso coração ouviremos o Senhor falar: _De longe se me deixou ver o Senhor, dizendo: Com amor eterno eu te amei por isso com benignidade te atraí... Porque se apegou a mim com amor, diz o Senhor: Eu o livrarei e o glorificarei, colocarei você em um alto refugio só porque você conheceu o meu nome. ( Jr. 31:3 e Sl. 91.:14, 15).

Quando Moisés chegava para Deus, o Senhor sentia que Moises estava ali porque sabia que entre todas as necessidades, Deus era sua maior necessidade, ele não só se satisfazia em sentir que Deus estava com ele, mas também queria mergulhar mais e mais, ele sabia que por ser fraco o Senhor se fazia forte nele, sua fraqueza confessava que precisava da força de Deus por que o amava então suas fraquezas eram vencidas. Ele queria tocar em sua face, ele pediu: Senhor se achei graça mesmo diante de ti, me mostra a tua face!

Ele estava colocando Deus na parede, ele se sentia intimo ao ponto de cobrar de Deus que o mesmo conhecia ele, portanto, Deus se mostrasse para ele, era como se sentisse em desvantagem era como se dissesse: Deus, o Senhor me ver, me conhece, sabe tudo de mim, mas e eu? Fico em desvantagem? Te sinto todos os dias, ando todo tempo contigo e o Senhor não me faz conhecer o teu rosto?

Então foi ai que Deus se comoveu e disse: eu vou passar por ti, você verá a minha bondade. E a Bíblia diz que Deus disse a Moisés o SEU NOME e Moisés viu a mão de Deus. (Ex.33: 19,22). Deus estava querendo que Moises entendesse que nas lutas, nas dificuldades que Moises enfrentava que às vezes podia até dar a Moisés a vontade de desistir ou pensar que chegou a fim, pois o povo era de dura cervis, O Senhor estava pronto com sua mão poderosa para levantá-lo e fazê-lo não temer, era como se ele dissesse: Meu filho não temas, eu te levanto e te fortaleço com minha destra fiel.

O Senhor via as dificuldades de Moises porque o povo era rebelde, veja o texto abaixo:

Disse o Senhor: Tenho visto a este povo, e eis que é povo de dura cervis. Agora, pois, (Moises) deixa-me: para que eu seja contra eles e o meu furor os consuma; e de ti farei uma grande nação. (Ex. 32:9,10.)

Deus via suas lutas e também sabia que o povo dava muito trabalho a ele, por isso que o escondia-o na sua sombra poderosa, no esconderijo secreto da sua presença.

Eu fico pensando:! Se existisse algum diálogo entre Moises e João e se pudéssemos ouvir uma conversa entre eles, seria provavelmente assim:

Moisés: _Olha João, eu queria que você estivesse lá comigo quando Deus com seu poder tirou o povo do Egito, abriu o mar vermelho, fez sair água da Rocha, andou como nuvem sobre nós, nos deu o pão dos céus; eu queria que você visse, eu estava lá e me alegro por todas essas maravilhas que o Senhor me agraciou que eu contemplasse ver, só uma coisa me deixou a desejar!

Então João lhe perguntaria: _O que foi Moisés que não te satisfez em meio a todas essas maravilhas?

Moises respondeu: _Eu vi a gloria de Deus, senti sua presença, o reflexo do brilho do seu rosto até brilhou sobre o meu rosto, sua sombra passou por mim, senti o toque de sua mão, no entanto, não consegui ver a sua face.!?

Eu imagino neste momento o rosto de João reluzente em lágrimas de gozo, emoção, satisfação e com o coração batendo forte, acelerado, queimando de amor por Deus, simplesmente olhar para Moisés e só conseguir balbuciar umas poucas palavras.

Disse João: _Moises, eu João, o vi com meus olhos, minhas mãos pegaram nele, no Verbo da Vida, ( 1Jo. 1:1) eu deitei-me encostado no peito de Deus. Jo. 13:25.

Imagino que a presença de Deus em João foi tão forte, que tinha tantas coisas para ele revelar a Moises, pois João viu morto ressuscitar, cego ver, aleijado andar, viu demônios serem expulsos de vários corpos até contemplou a crucificação de Jesus e viu o Senhor quando subiu para as alturas juntamente com os outros discípulos, aos nossos olhos, são maravilhas e na verdade são. No entanto ele escolheu a intimidade do Senhor o estar deitado no peito do seu Mestre como a melhor parte, porque este é o amor e a vida eterna: Estar em Deus e ele em nós.

Ainda que isto seja uma simulação de um pensamento meu, com isso quero mostrar diante da palavra que Deus tem uma glória maior do que a de Moises para nós, Deus tem para nós os seus filhos, a glória que João viu, porque Moises tinha o rosto coberto porque era a única maneira de passar diante dos seus olhos por mais tempo a luz da gloria da presença de Deus, nós não, agora temos uma maior glória, temos a glória do seu Espírito Santo em nós (2. Co.3) Essa é a glória do Senhor e guardamos a sua herança (o seu Espírito ) em nós que somos de barro.

Vejo que a experiência de João completa a experiência de Moises assim como o Novo testamento cumpre a Antiga Aliança.

Venhamos a aprender então a deixar nascer em nós o mesmo sentimento que Moises tinha diante de Deus, era uma fidelidade tal com o Senhor, um amor imenso e profundo que ele ofertava-se a Deus, ele era fiel ao seu momento com Deus, fidelidade tal que fazia desse momento a sua vida!!

Esse era o segredo de Moises. Sua autoridade não se limitava em um povo obediente muito pelo contrário, era um povo rebelde e de dura cervis, ou seja, além de rebelde, teimosos, no entanto Moisés derramava todas as suas preocupações, ansiedades, fadigas, decepções, ele colocava tudo diante do Senhor, era para a presença de Deus que ele levava seus conflitos, mas também era para a sua presença santa que Moises levava o seu amor, sua gratidão, suas alegria, ofertava a sua melhor parte: o seu coração...

Ele fazia com que o Senhor se alegrasse com ele por que alegrando-o, Deus lhe traria forças, a alegria do Senhor era a força de Moisés, ele não deixava o Senhor ELE QUERIA MAIS DO SENHOR CADA DIA MAIS.

Quando a presença do Senhor vem sobre nossas vidas, tudo se transforma o que era triste, fica alegre porque a luz de Deus ascende o nosso coração, o que estava escondido, agora é revelado pelo brilho da Estrela da Manhã que nasce no céu do nosso coração.

É na presença do Senhor que Deus renova nossas forças e faz nascer em nós uma viva esperança nos dando forças para cumprir o chamado do Senhor em nossas vidas seja na alegria ou na dor, porque sempre teremos o consolo do Espírito Santo se assim dependermos do Senhor.

É na presença do Senhor que o leproso é curado, que o morto é ressuscitado e que o pecador deixa o seu caminho mau e recebe uma vida nova do coração de Deus.
Que cada um de nós faça da presença de Deus o nosso local de refugio e fortaleza, e assim teremos o socorro bem presente quando chamarmos o Senhor, ele estará ali, bem pertinho, dentro de nós.

Se fizeres do Altíssimo o seu refugio e sua habitação... De longe ouviras o Senhor declarando seu amor, chamando-o meu filho (a) amado (a) em que ele tem prazer. Aleluias.

O Senhor já te abençoou com todas as sortes de bênçãos em Cristo Jesus.

Ele já te guardou a vida colocando-a escondida em Deus por Cristo Jesus. Cl. 3: 3

Ele resplandeceu em tua face na face de Cristo, que é a unção do Espírito que está em vós.

E o Senhor já te deu a paz, nos entregando o Príncipe da Paz do Céu, Jesus.

Amem, e aleluia, pela benção sacerdotal totalmente cumprida em Cristo e dada gratuitamente a nós, resta-nos agora atentarmos para uma tão grande salvação.

Autor: Surama Costa