Procure

O Brilho da Vereda dos Justos


Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus a Paz do Senhor!

Nesta matéria falaremos um pouco sobre a intensificação da vereda dos justos que é como a luz da aurora que brilha cada vez mais até ser o dia perfeito.

Vamos analisar este assunto à luz da Palavra de Deus.

I. As Promessas de Deus Aos Justos

A palavra “justo” pode ser usada como adjetivo ou como substantivo.

Usado como adjetivo, relativo ao procedimento de um homem, significa que ele julga e procede segundo a eqüidade, é probo, reto, íntegro, preciso, exato, conforme à verdade, razoável, fundado, legítimo, que tem o caráter da justeza e da razão. É encontrado algumas vezes no Velho Testamento com este sentido, por exemplo 1 Sm 24:17, 2 Sm 4:11, Ez 3:20.

Na grande maioria das vezes, porém, vemos que esse vocábulo é usado na Bíblia como substantivo ou, se adjetivo, é como antônimo, ou o contrário de “ímpio”. “Ímpio” é quem não teme o Deus verdadeiro, desprezando a Ele e à Sua palavra, podendo ser idólatra ou mesmo ateu.

Não somente isto, o “justo” da Bíblia implica que a pessoa tem muito mais do que o que consideraríamos ser uma boa conduta. Referindo-se ao Salmo 14:1-3, Paulo declara em Romanos 3:10-12: “Não há um justo, nem um sequer.

Não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.” Salomão também escreveu: “Na verdade, não há homem justo sobre a terra, que faça bem e nunca peque.” (Ec 7:20).

No entanto encontramos muitos “justos” na Bíblia, por exemplo Noé (Gn.6:9), Ló (Gn.18:23), Cornélio, o centurião, varão justo e temente a Deus (Atos 10:22). A verdadeira e única explicação é que, embora ninguém seja justo pela sua própria natureza, muitos foram e são considerados “justos” por terem sido “justificados”, isto é, foram e são declarados inocentes, ou “justos” pelo Juiz Supremo, o próprio Deus.

O apóstolo Paulo esclarece em seguida (vers. 23 a 26): “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus; para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.”

Isto já havia sido profetizado por Isaías, séculos antes: “O trabalho da sua alma ele verá e ficará satisfeito; com o seu conhecimento, o meu servo, o justo, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si” (Is 53:11). O “servo” era o Messias, que conhecemos como Jesus Cristo, o único homem verdadeiramente “justo” em todos os sentidos. A justificação vem pela fé, como nos disse Habacuque: “… o justo, pela sua fé, viverá. (Hc 2:4).

II. Vejamos agora as promessas feitas aos justos:

Os justos gozam da atenção constante do Senhor, que ouve o seu clamor a qualquer tempo. Não é preciso a intermediação de um sacerdote, ou quem quer que seja: a comunicação é direta: Os olhos do SENHOR estão sobre os justos; e os seus ouvidos, atentos ao seu clamor.

(Sl 34:15). Pois tu, SENHOR, abençoarás ao justo; circundá-lo-ás da tua benevolência como de um escudo.(Sl 5:12).

A infindável benevolência do Senhor é garantida ao justo, cercando-o por todos os lados de bênçãos, como as que se seguem: Fui moço e agora sou velho; mas nunca vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão.

(Sl 37:25). Lança o teu cuidado sobre o SENHOR, e ele te susterá; nunca permitirá que o justo seja abalado (Sl 55:22). Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR o livra de todas (Sl 34:19). A habitação dos justos o SENHOR abençoará (Pv 3:33).

Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito (Pv 4:18). O justo é libertado da angústia (Pv 11:8). Nenhum agravo sobrevirá ao justo (Pv 12:21). O justo come até que a sua alma fique satisfeita (Pv 13:25). Torre forte é o nome do SENHOR; para ela correrá o justo e estará em alto retiro (Pv 18:10).

O SENHOR não deixa ter fome a alma do justo (Pv 10:3). Na verdade, nunca será abalado; o justo ficará em memória eterna (Sl 112:6).

O justo crescerá e florescerá durante todos os seus dias na terra: Nos seus dias florescerá o justo, e abundância de paz haverá enquanto durar a lua (Sl 72:7). O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro no Líbano (Sl 92:12).

Depois gozará da vida eterna: … o justo até na sua morte tem esperança (Pv 14:32). E irão estes para o tormento eterno, mas os justos, para a vida eterna(Mt 25:46).

Sendo ali exaltado: Dos justos não tira os seus olhos; antes, com os reis no trono os assenta para sempre, e assim são exaltados (Jó 36:7). Então, os justos resplandecerão como o sol, no Reino de seu Pai (Mt 13:43).

E receberá um galardão: Dizei aos justos que bem lhes irá, porque comerão do fruto das suas obras (Is 3:10).

E ainda herdará a terra: Os justos herdarão a terra e habitarão nela para sempre (Sl 37:29).

III. Vejamos algumas das características dos justos:

Ao justo nasce luz nas trevas; ele é piedoso, misericordioso e justo (Sl 112:4).

Nas tendas dos justos há voz de júbilo e de salvação (Sl 118:15).

Assim, os justos louvarão o teu nome; os retos habitarão na tua presença (Sl 140:13).

A memória do justo é abençoada (Pv 10:7).

A boca do justo é manancial de vida (Pv 10:11).

A obra do justo conduz à vida (Pv 10:16).

Prata escolhida é a língua do justo (Pv 10:20).

Os lábios do justo apascentam muitos (Pv 10:21).

… O justo tem perpétuo fundamento (Pv 10:25).

O justo nunca será abalado (Pv 10:30).

A boca do justo produz sabedoria em abundância (Pv 10:31).

Os lábios do justo sabem o que agrada (Pv 10:32).

O desejo dos justos é somente o bem (Pv 11:23).

O fruto do justo é árvore de vida (Pv 11:30).

Os pensamentos do justo são retos (Pv 12:5).

O justo olha pela vida dos seus animais (Pv 12:10).

O justo é um guia para o seu companheiro (Pv 12:26).

O justo aborrece a palavra de mentira (Pv 13:5).

O coração do justo medita o que há de responder (Pv 15:28).

O justo anda na sua sinceridade; bem-aventurados serão os seus filhos depois dele (Pv 20:7).

Prudentemente considera o justo a casa do ímpio, quando os ímpios são arrastados para o mal (Pv 21:12).

Praticar a justiça é alegria para o justo (Pv 21:15).

Porque sete vezes cairá o justo e se levantará; mas os ímpios tropeçarão no mal (Pv 24:16).

Fogem os ímpios, sem que ninguém os persiga; mas qualquer justo está confiado como o filho do leão (Pv 28:1).

Informa-se o justo da causa dos pobres (Pv 29:7).

A vereda dos justos é como a luz da aurora que brilha cada vez mais até ser dia perfeito; O dia perfeito será quando Jesus retornar para nos transformar em um corpo glorioso e estaremos para sempre com o Senhor. Amém!

|  Autor: Jânio Santos de Oliveira  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |