Procure

Ebenezer!


Então Samuel pegou uma pedra e a ergueu entre Mizpá e Sem; deu-lhe o nome de Ebenézer, dizendo: “Até aqui o SENHOR nos ajudou” – I Sm 7.12

Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus, a Paz do Senhor!

Quando lemos o capítulo 7 de I Sm, percebemos que o Senhor estava distante de Israel, tendo em vista que todos os aspectos da fé veterotestamentária eram diferentes.

Na dispensação da lei o tratamento era recíproco. Deus estava com o povo, quando o povo estava com Ele.

Diferente de hoje. Quando Paulo escreveu a Timóteo, ele disse: ainda que sejamos infiéis Ele permanece fiel.

O povo estava afastado de Deus e passava por um problema político. Particularmente os problemas deles eram frutos do afastamento de Deus. Antes e entrar no ponto central do texto quero que você pense comigo duas coisas:

1- Deus não divide sua Glória com ninguém.
2- O povo tinha construído altares a outros deuses.

Como então ter a intervenção de Deus nessa batalha? Como obter vitória se estavam longe do Deus? O povo tinha que se desfazer de sua idolatria e rebelião.Tinha que se voltar para o Senhor para que tal vitória fosse concedida.

Samuel chamou o povo e disse : lancem fora os deuses estranhos. E o povo se arrependeu de sua idolatria e Samuel começou a clamar pelo povo. Depois da guerra ter acabado Samuel pôs uma pedra entre Mizpa e sem e a chamou de Ebenezer.

Ebenezer quer dizer no sentido literal: Pedra de Ajuda. A expressão de Samuel estava certa Deus os tinha ajudado. Essa é a ultima mensagem de 2008, e eu não podia deixar de trazer esta mensagem para os caros leitores que nem são tantos assim mas, são fiéis.

Samuel foi o último juiz sobre Israel. Após vários anos, Israel perdera seu propósito de tornar-se Reino de Deus na terra. A arca do SENHOR havia sido levada pelos filisteus e posteriormente devolvida, mas não retornara ao seu lugar de culto.

Ela foi levada para a casa de Abinadabe e ali ficou por longos vinte anos. O santuário em Silo foi destruído e durante todos esses anos a arca foi simplesmente esquecida pelos israelitas e seus governantes.

A glória se foi (Icabode ou Icabô). Israel então passa a chorar e suplicar pelo favor de Deus, porque a ausência da Glória de Deus os tornava cativos, oprimidos, escravos de situações difíceis e presas fáceis de seus inimigos.

Samuel reuniu o povo em Mizpa (Torre de Vigia): era uma localidade onde o povo acostumava a se reunir em grandes emergências nacionais (Js 18.26; Jz 20:1, 3; 21:1, 5).

Estava cerca de 10 quilômetros ao norte de Jerusalém, no monte mais alto da redondeza, uns trezentos metros de altitude acima da planície de Gibeão.

Mais tarde foi ali que Saul, o primeiro rei de Israel, foi identificado e apresentado ao povo (1 Sm 10.17 ). Em Mizpa tiraram água e a derramaram perante o SENHOR: um símbolo de arrependimento do pecado, deixando os ídolos e seguindo somente o SENHOR.

I. O Chamado de Samuel

1. Em meio à decadência Espiritual

- Os filhos de Eli eram filhos de Belial – Isso porque eram maus.
- Serviam no Tabernáculo, mas não conheciam o Senhor intimo e pessoal.
- Se ajuntavam na porta da tenda

2. Eli era um sacerdote fraco

- Sei filhos se ajuntavam na porta da tenda com as mulheres ali se deitavam com elas, Eli, já não possuía, mas autoridade para repreender seus filhos.
- Nada deixa mais entristecido um pai já velho do que filho desobediente em sua velhice.

3. Sucessão ministerial

- Deus tira de a sucessão sacerdotal que cabiam os filhos de Eli.

II. Começo do ministério de Samuel.

1. Crise no sacerdote.

- Não havia visão manifesta – Talvez porque não havia israelitas Fileis.
- O texto sagrado em hebraico, indica que ele estava deitado dentro do templo próximo a arca do Senhor – Dormia como um servo vigilante.
- Enquanto Eli deixava seus filhos darem coice no altar (I Sm 2.29), Samuel deitava ao lado da arca.
- Os que me desprezam serão envelhecidos (I Sm. 2.30)
- Eli não alcançou êxito na promessa feito a seus pais, através de Arão.

2. Samuel chamado e consagrado diretamente por Deus.

- Samuel recebeu o chamado e foi consagrado diretamente por Deus.
- Samuel é considerado o maior profeta apontado formalmente por Deus, depois de Moisés.

III. Um ministério com a Glória fora do seu lugar.

1. A Arca havia sido tomada.

- Israel perde a 1ª batalha para os filisteus - Na 2ª batalha Israel leva a Arca para o campo, imitando os pagãos que levavam seus ídolos na esperança que esse entregasses seus inimigos em suas mão.
- Israel Perde a pela o símbolo da presença de Deus.
- Eli cai da cadeira e morreu por era velho e pesado
- Sua nora da luz e morre.
- Icabô – foi se a Glória

2. A Glória de Deus na fica o fora do seu lugar

- No templo de Dagom – ela quebra o ídolo ao meio
- Deus não mora de parede meia.

IV. Vitória em Mizpa

1. Havia 20 anos que arca tinha sido tomada em Siló

- Samuel convoca o povo ao arrependimento em Mizpa depois de reorganizar a congregação.
- Possivelmente a arca de ficado em Quiriate-Jearim por cerca de 100 anos, ela foi levada para lá em 1101 a.C logo após a batalha de Afeque (ou cidade de Afeque.

2. Requisito para a vitória

- Se converterdes de todo vosso coração ( I Sm. 73)
- Tirar os ídolos – Tudo que atrapalha a receber a benção.
 

3. A oração do homem Deus frente a congregação.

- Congregai todo o Israel em Mizpa:
- Mizpa – Torre de vigia – 12 km norte de Jerusalém O que Israel precisa Fazer:
- Derramarão água – Símbolo de arrependimento
- Deus deu tamanha vitória que os filisteus não fizeram mais ataque aos Israelitas durante todo o tempo que Samuel foi Juiz em Israel.

4. O grito de Vitória

- Ebenezer até aqui nos ajudou o Senhor.

I Sm 7.12 sinaliza-nos que Samuel o grande profeta, sacerdote e juiz de Israel lançou mão de uma pedra, construiu um pequeno altar para o Senhor, deu-lhe o nome de Ebenézer e disse: “Até aqui nos ajudou o Senhor”.

Vamos refletir sobre esse momento histórico de Israel e aprender sobre o significado da expressão para os dias atuais e para nossas vidas.

A história completa se inicia no capítulo 4 quando Israel foi derrotada pelos filisteus e trinta mil de seus homens foram mortos, culminando com a arca da Aliança do Senhor sendo tomada pelos filisteus (4.10,11).

Por sete meses esteve a arca na terra dos filisteus (6.1). Mas tantas foram as desventuras, em todo esse período para os filisteus, que estes intentaram retirar de seus limites territoriais a arca.

Quando, finalmente, por instrução de Samuel, o povo passou a congregar, a orar e jejuar ao Senhor, o livramento veio, o povo de Israel pode lutar e vencer os filisteus. E grande foi a alegria de todos.

Ao ponto de construir Samuel um pequeno altar de pedras, a quem chamou de Ebenézer que significa pedra de ajuda.

O grande propósito desta passagem histórica e bíblica é a de fazer com que jamais nos esqueçamos das bênçãos de Deus.

É preciso ler, reler e guardar no coração: Até aqui nos ajudou o Senhor (7.12b) , e nós não devemos nos esquecer disso! É importante estabelecer uma pequena reflexão sobre todo o texto (4.1 – 7.17).

Por que, logo após uma vitória na batalha, Samuel escolheu uma pedra, colocou-a entre Mizpa e Sem e a chamou de "Ebenézer"? Quais os significados da ação de Samuel, ao edificar um altar para o Senhor? Destaco três significados para a pedra e o altar:

1) UM MARCO DE VITÓRIA.

Ao olhar para aquela pedra as pessoas se lembravam que ali os filisteus foram definitivamente derrotados: "... e nunca mais vieram aos termos de Israel, porquanto foi a mão do Senhor contra os filisteus todos os dias de Samuel" (v. 13).

Como exemplos de marcos de vitória temos: um título de um campeonato esportivo que, uma vez conquistado, nunca mais pode ser tomado; uma “cabeça-de-ponte", posição territorial tomada à força militar e defendida de tal forma que o inimigo não consegue mais reaver.

Recordemos que Rm 11.29 nos assegura que Deus não se arrepende das bênçãos que Ele nos dá.

Um marco de vitória é registro de conquista que só nos foi possível mediante a graça de Deus, tal como um diploma conquistado, um imóvel registrado, um carro quitado ou comprado à vista, um casamento bem realizado, um filho que nasceu uma viagem missionária, uma ajuda relevante ao próximo, uma pessoa resgatada, uma vida libertada, dentre tantos outros exemplos.

Estabeleça seus marcos das vitórias de tal modo que ao olhar para trás você se alegre ao constatar que há em sua história grandes bênçãos conquistadas, que nunca mais o inimigo poderá tomá-las de você, pois constituem grandes avanços e grandes obras realizadas que nunca mais podem ser desfeitos.

2) UM ALTAR DE GRATIDÃO

Ao passar por aquele lugar, as pessoas também iriam se lembrar que foi Deus quem expulsou os filisteus, livrando-as da ação inimiga. Muitas pessoas vivem reclamando da vida (e até de Deus) pois se esquecem facilmente o quanto o Senhor tem feito por elas, e se tornam amargas, insatisfeitas e ingratas.

Mas não aja assim, ao contrário, levante verdadeiros "altares de gratidão" pelas bênçãos que lhe foram concedidas pelo Senhor, para jamais se esquecer de tudo o que Ele tem feito por você.

3) UMA COLUNA DE FÉ

Ao olhar para aquela pedra, o povo de Israel podia crer que o Deus que os havia livrado dos inimigos nos dias de Samuel podia também livrá-lo em seus dias. Pois “Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre”(Hb 13.8).

Ao olhar as suas conquistas e avanços, seu coração tende a crer ainda mais no poder de Deus e a ter a sua fé renovada e fortalecida.

Quem assim procede estará em condições de experimentar ainda mais o agir de Deus, pois viverá pela fé. Não nos esqueçamos, então: ao conservar na memória as vitórias que Deus nos dá, construímos MARCOS DE VITÓRIA, ALTARES DE GRATIDÃO e COLUNAS PARA NOSSA FÉ, de onde poderemos nos lançar para desafios ainda maiores, em todas as direções e sentidos.

Creia que a vitória tão esperada por você virá quando sua fé estiver firme, alicerçada e firmada em um altar de gratidão ao Senhor, pois Ele é fiel e até aqui nos tem ajudado!

Lição:

- Saber que mesmo quando o povo se corrompe, Deus tem alguém que faz a diferença.
- Anos sem Arca, mas Samuel acreditava na vitória.
- O tempo da Espera será compensado pela vitória.

Como Samuel, precisamos levantar o marco da nossa vitória celebrando com um culto a Deus.

Samuel, a semelhança de Josué, levantou um marco feito de pedra, um memorial que maçou a vitória e o livramento dado por Deus.
 
Ebenezer, até aqui nos ajudou o Senhor.

|  Autor: Jânio Santos de Oliveira  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |