Procure

Chuva Temporã e Serôdia


"E vós, filhos de Sião, regozijai-vos e alegrai-vos no Senhor vosso Deus, porque Ele vos dará em justa medida a chuva temporã; farei descer no primeiro mês, a temporã e a serôdia" Jl 2:23

Significados:

Temporã: Precoce, antes do tempo.
Serôdia: Que vem tarde, tardiamente.

         Quando o profeta Joel escreveu sobre a chuva temporã e serôdia, Judá, vivia uma época de grande devastação. Uma enorme praga de locustas, havia aniquilado toda vegetação. Pastagens, tanto de ovelhas como de gado, morreram. Safras perdidas, fome e seca por toda parte.
         Deus, através do profeta, convoca o povo ao arrependimento. O mal, sobre Judá, teria vindo por causa do pecado:
 
"Congregai o povo, santificai a congregação, chorem os sacerdotes, ministros do Senhor" Jl 2:15,16.
        E em meio ao choro, pranto e arrependimento, Deus, envia promessa de abundância. Colheita a tempo e fora de tempo.

Campos devastados em nossas vidas:

         Às vezes, estamos assim, vivendo a devastação. Como se uma praga de locustas devorasse nossos sonhos de paz e prosperidade. De repente, sem piedade. Nos tirando da "zona de conforto" Tudo que nossos olhos conseguem alcançar é destruição, tristeza. O que fazer?
         Deus, através do profeta, orienta a busca pela restituição. Só o Senhor, pode restaurar os campos. Ele não convoca o povo a prantear pelo que se foi, mas pelo que haveria de vir. A busca, a total entrega a Deus, transformaria os campos:
 
"Vos envio trigo, o mosto, e o azeite, e dele sereis fartos" Joel 2:19

        Ao cair a chuva temporã e serôdia, tudo seria restituído, em "justa medida". Assim é conosco. A chuva, poderá tardar ou vir precocemente, ela, inicia um novo tempo.

A chuva serôdia veio sobre ele:

        Jacó: Trabalhou 20 anos para Labão. Este, mudou seu salário dez vezes. Jacó, sofreu humilhação, fome, frio, foi roubado e trapaceado. Mas, quando Deus enviou a chuva serôdia sobre ele, Jacó, partiu em direção as promessas. A serôdia, superabundou. Os campos outrora áridos, se tornaram férteis. Na descendência de Jacó, a restituição, aleluia!! Um novo tempo. Jacó, se chamaria Israel, descendência do Senhor. Gn 29,30,31.

Ela, recebeu a temporã:

        Maria: Noiva de José, ainda virgem, acolheu em seu ventre, O Salvador Jesus. Imagino o escândalo que o fato teria causado: "Aquela Maria, parece santa, mas, nem casou e já está grávida". Os olhares, as repreensões os murmurinhos. "a praga de locustas" se apresenta nos relacionamentos de Maria. Entre sua vizinhança, seus familiares, amigos. Como explicar? Como se apresentar a sociedade? Quem acreditaria nessa história de "gerado através do Espírito Santo"? A locusta devorava em meio a chuva temporã. Maria, a mais agraciada, de todas as mulheres, grávida, antes do tempo: Do casamento, da primeira cópula. Os frutos dessa chuva, abundaram para a vida eterna. Jesus, marcaria a humanidade para todo o sempre, passando até a dividir a história em a.c e d.c. Um novo tempo.

Ele sustenta:

         Quando Deus envia a temporã e a serôdia, Ele capacita para a colheita. Aleluia!! Ele sustentou Jacó, Maria, sustentará a mim e a você.
         Estudar sobre essa passagem do livro de Joel, fortaleceu minha fé. Me fez olhar para algumas "áreas devastadas", com certeza de vasta colheita, no tempo determinado por Ele. Que assim seja para vós, filhos de Sião.


|  Autor: Wilma Rejane  |  Divulgação: estudosgospel.com.br |