Procure

Abraão, Homem de Fé e Obediência

Gênesis 12.1-9


A lição de hoje versa sobre grande nome, até hoje muito citado, amado e admirado em todo o mundo. Prezam-no os seus descendentes segundo a carne, estimam-no os seus filhos espirituais, que são os crentes em Cristo Jesus.

Estudá-lo é meditar na fé, é considerar na obediência. Tal foi a sua fé, que lhe deu vários títulos, como se podem ver das cartas de Paulo. Tão acentuada, entretanto, é a sua obediência que leva Tiago a dizer, em sua epístola (2.21), que ele - Abraão - foi justificado pelas obras.

Sim, é que a fé é a árvore e a obediência são os frutos. A fé se demonstra e confirma pelas obras.

1 - ALGUNS DADOS BIOGRÁFICOS DE ABRAÃO

Abrão era o seu primitivo nome. Significa: Pai exaltado, ou pai ilustre ou, ainda, pai de grande povo. O Senhor mudou de Abrão para Abraão, para reforçar-lhe o significado. Era filho de Terá e descendente de Sem, filho de Noé.

Tinha dois irmãos: Naor e Harã. Morava, com os pais, em Ur dos Caldeus, na baixa Babilônia, mais tarde chamada, pelos gregos, de Mesopotânia. Ca- sou-se com Sarai, ou Sara, que era sua irmã por parte de pai (Gn 20.12).

Saiu de Ur, com seu pai e toda a família e peregrinou em Harã, onde morreu seu pai Terá. De lá saiu em demanda de Canaã e levou consigo Ló, filho de seu irmão Harã, que falecera ainda em Ur. Esteve no Egito, devido à fome que havia em Canaã. Voltou a Canaã, onde se separou do sobrinho Ló.

Guerreou, em defesa de Ló, contra os reis coligados e libertou o sobrinho. De volta das batalhas, encontra-se com Melquisedeque, rei de Salém (Jerusalém) e sacerdote do Deus Altíssimo, e lhe dá os dízimos dos despojos, depois de ser alimentado por aquele nobre varão de Deus. Teve várias entrevistas com emissários de Deus.

Tinha muitos escravos (Só 318, adestrados, ele os levou à guerra) e grandes rebanhos, prata e ouro (Gn 13.2). Tinha dois filhos: Ismael e Isaque. O primeiro era filho de Hagar, egípcia, sua escrava, e o segundo, de Sara, sua esposa. Intercedeu pelas cidades de Sodoma e Gomorra perante Deus.

Peregrinou em Gerar, onde, como lhe acontecera no Egito, sua esposa foi tomada pelo rei, pelo fato de ele usar de meia verdade, apresentando Sara como sua irmã somente. Despede a escrava Hagar e seu filho Ismael, por insistência de Sara, para que Ismael não lhe fosse herdeiro como o filho da promessa - Isaque. Morre sua esposa. Sara, com a idade de 127 anos, e ele adquire um campo com sepultura, por 400 siclos de prata e ali a sepulta.

Depois manda o seu mordomo - certamente o damasceno Eliézer - ir a Harã, buscar uma esposa para Isaque, não permitindo, por cautela, que o escravo levasse o jovem, para que não fosse este tentado a ficar por lá (Gn 24.6).

Casado o filho, casa- se ele novamente, com Quetura, que lhe deu à luz seis filhos (25.2). Abraão faz de Isaque seu único herdeiro, embora desse aos demais filhos valiosos presentes, mandando-os para longe.

Aos 175 anos de idade, morre o velho Abraão e é sepultado na caverna de Macpela, por seus filhos Isaque e Ismael, no mesmo campo onde ele sepultara sua esposa Sara. Vistos estes dados, passemos à análise de alguns pontos da lição.

2 - UM HOMEM VOCACIONADO POR DEUS

Belíssima coisa na vida de alguém é a vocação divina, isto é, o chamado de Deus. Abraão foi o primeiro vocacionado por Deus, dentre todos que conhecemos.

E de então para cá o Senhor tem vocacionado a muitos, dando a cada um importante missão a cumprir ou importantes tarefas a realizar. Mas, ao meditarmos neste ponto da lição, algumas perguntas brotam em nossa mente. Vejamo-las:

A) COMO DEUS NOS CHAMA?

De muitos modos, poderíamos responder, de pronto. Notemos os fatos. A Abraão ele o chamou, dizendo-lhe que saísse de sua terra, para a terra que lhe mostraria (Gn 12.1).

  1. • A José, chama-o por meio de sonhos (37.5,9);
  2. • A Moisés, chama-o por meio de visão (Ex 3), como o faz mais tarde com Isaías (6.1-8); a Neemias, mediante notícias tristes que lhes eram levadas por mensageiros de sua terra (cap. 1);
  3. • A Samuel, pelo chamado direto, a viva voz (I Sm 3.1-14);
  4. • aos profetas, por diversos modos;
  5. • A João Batista, chama-o, fazendo-o, primeiramente, cheio do Espírito Santo desde o ventre materno, e, depois, levando-o a viver nos desertos e mostrando-lhe o estado de seu povo e a situação do mundo dos Césares!
  6. • Aos apóstolos, chama-os através do próprio Filho, Jesus;
  7. • A Paulo, o perseguidor da Igreja, vem Jesus chamá-lo através da visão, às portas de Damasco.

Mas, será que cessaram aí os chamados de Deus? Não. Em todos os tempos e lugares, o Espírito Santo chama pessoas, ora para aceitarem a salvação, para deixar "a casa de seus pais", isto é, deixarem a falsa religião em que nasceram e foram instruídas e a aceitarem o Evangelho e a salvação pela fé em Jesus, ora vocaciona-as para o serviço do Evangelho, dizendo a cada coração: "Sê tu uma bênção".

B) POR QUE DEUS CHAMA?

Ele chama, quer para a salvação quer para trabalhar na obra do seu reino, porque tem um plano para cada pessoa. Chamou a Abraão, para fazê-lo pai de grande povo, e bênção para todas as famílias da Terra.

A sua descendência deveria ser outras bênçãos para o mundo inteiro. O que a Igreja - o novo Israel de Deus - está fazendo no mundo é o que Deus queria que os judeus fizessem. Infelizmente, eles falharam.

Deus opera no mundo, através dos homens, salvo casos excepcionais, de sua operação direta ou por meio de anjos. Eis porque chamou, no passado, e ainda chama, no presente, pessoas para a sua obra.

3 - UM HOMEM AMIGO DE DEUS

Referindo-se ao patriarca Abraão, diz Tiago, em sua epístola (2.23), que ele foi chamado "amigo de Deus". Fora o piedoso rei de Josafá quem assim lhe chamara, quando orava ao Senhor (II Co 20.7).

Como conseguira Abraão tal honra, bem como os diversos títulos com que é tratado em o Novo Testamento?

Ah! foi por sua fé viva e provada com as mais duras experiências, fé que ele demonstra por incondicional obediência. Deus - o Deus criador dos céus e da Terra - era gloriosa realidade de sua vida, desde os dias do seu viver em Ur dos Caldeus.

Nele cria e a ele obedecia. Vejamos, pois, alguns passos na vida daquele varão de Deus em que se destaca sobremaneira a sua fé.

A) QUANDO DEIXA A SUA TERRA

Vivia o jovem Abraão em Ur dos Caldeus, com todos os seus. Casara-se ali e ali desenvolvia suas atividades. Chamado por Deus, sai e vai, com seu pai, para Harã, onde desenvolveram seus negócios, sua fazenda.

Visitado e alertado por Deus (Gn 15.7), levanta ele o seu acampamento e sai em demanda de uma terra que Deus lhe mostraria. Grande era já a sua comitiva, muitos escravos, pois alguns anos mais tarde, só homens capazes de guerrear ele dispunha de 318 (Gn 14.14). Convinha, porém, obedecer a Deus. Dirige-se, sem o saber, à terra da promessa, que era Canaã. "Partiu sem saber para onde ia" (Hb 11.8).

B) QUANDO OUVE AS PROMESSAS DE DEUS

Promessa de que toda aquela terra em que instalara sua tenda seria dada à sua descendência. Ele creu, ainda que não tinha filhos para herdá-la. Promessa de que teria um filho que seria o herdeiro, estando ele e sua esposa já velhos. Sim, Deus falava, era preciso crer e não duvidar.

C) QUANDO É PROVADO POR DEUS

Disse-lhe Deus: "Toma teu filho, teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei" (22.2).

Ele não vacilou. E o autor de "Aos Hebreus" considera tanto tal grau de fé e obediência, que diz: "Pela fé Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque" (11.7). Duríssima lhe foi a prova! (Nela, entretanto, ele é aprovado). Importava confiar sempre no Senhor. De tal modo ele se portava neste sentido, que veio a ser chamado de amigo de Deus.

CONCLUSÃO

O texto áureo nos mostra o segredo da alta colocação do nome de Abraão; nas leituras diárias temos algumas características do grande patriarca; o ponto central nos dá o porquê é ele - Abraão - uma bênção para todo o mundo. E tanto Jesus como Paulo o colocam como pai dos crentes, mostrando, destarte, que a legítima descendência de Abraão, diante de Deus, é espiritual e não segundo a carne. "Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão", disse Jesus aos judeus (Jo 8.39). "Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão", diz Paulo (Gl 3.7).

Autor: Artigo recebido por email