Procure

A Vida Velha X A Nova Vida


"Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios, na vaidade dos seus próprios pensamentos, 18 – obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração, 19 – os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza. 20 – Mas não foi assim que aprendestes a Cristo, 21 – se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus, 22 – no sentido de que, quanto ao trato do passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências  do engano, 23 – e vos renoveis no espírito de vosso entendimento, 24 – e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade."  Efésios 4.17-24

Introdução

Certo funcionário de uma empresa, crente, foi chamado um dia ao gabinete do dono da empresa. Sem meias palavras, o dono foi direto ao assunto:

-"Estamos reestruturando a empresa e precisamos de uma pessoa exatamente do seu tipo para ocupar a posição de gerente do setor. Analisamos a sua ficha e vimos que só há um problema com você: é a sua religião. O cargo é incompatível com a sua fé. De modo que você terá que fazer uma opção entre a promoção no emprego e sua igreja. Mas você não precisa responder agora. Vá para casa, hoje é sexta-feira, pense, e na segunda nos diga o que foi que decidiu".

Aquele irmão foi para casa cheio de dúvida. De um lado, queria muito o cargo, era a grande chance de sua vida. Por outro lado, e sua fé? E a igreja? E Deus? Seu coração virou campo de batalha entre o certo e o errado, entre o real e o ideal. Porém, na segunda-feira, lá estava ele na empresa, já ansioso por encontrar-se com o dono:

- "E aí?" - quis saber o dono - "Qual é a sua decisão?"
- "Acho que vou aceitar a proposta que me fez".

O patrão nem levantou a cabeça:
- "Então pode passar imediatamente no Departamento de Pessoal e pedir suas contas. Você está despedido!"
 - "Mas... patrão, foi o senhor mesmo que me fez a proposta!"
- "Sim, e você foi provado e não passou no teste. Se foi capaz de trair tão rápido o seu Deus, quem me assegura que mais rapidamente você também não trairá a sua empresa?
Esta pequena ilustração nos mostra como muitos tem fraquejado na fé quando confrontados com alguma provação ou tentação. Se o coração da pessoa não estiver na Palavra, se não houver uma mudança de vida completa e radical, ela irá se afastar dos caminhos de Deus. Hoje refletiremos o quão é importante uma mudança de vida por completo!

Explicação

No início do capítulo 4 vimos a seguinte frase: andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados. A seguir, Paulo falou de um crescimento espiritual na comunhão do Corpo de Cristo. Abordou os dons e a maturidade espiritual ideal para a igreja.

Agora, o apóstolo volta no tema inicial e irá apresentar de maneira prática o modo pelo qual a chamada de cada cristão deve ser obedecida. Precisa haver o abandono completo da velha maneira de viver e o desenvolvimento de uma nova maneira.

É fazendo esta comparação, este contraste, que Paulo ira conduzir o argumento daqui em diante. A necessidade de tal abordagem visa o benefício dos próprios crentes. Pois, apesar dos mesmos estarem na nova vida e terem renunciado a antiga, eles ainda continuam a viver cercados pela sociedade, por pessoas que ainda andam nas trevas, por pessoas que levam uma vida sem Deus.

Frase de transição: Como Paulo descreve a velha e a nova vida, e quais são as lições que podemos aprender de tal comparação?
 

1 – A VELHA VIDA

"Isto, portanto, digo e no Senhor testifico que não mais andeis como também andam os gentios,"  Efésios 4.17

A descrição que o apóstolo faz da velha vida forma um panorama decadente, degradante. É ainda mais chocante se comparado ao ideal que Deus quer que nós vivamos, com já foi descrito nos versículos anteriores.

E por essa razão a advertência aqui é mais forte. Esta força se encontra na expressão “testifico”, que aqui é empregada para introduzir uma declaração solene. Observe que esta declaração é proferida por alguém que vive “no Senhor” e é dirigida a outros que devem viver dessa forma. É como se Paulo estivesse dizendo: O que vou falar agora é muito importante...

A advertência era para que os crentes de Éfeso não andassem como os gentios. Aqui a referência não é com relação à raça, e sim com relação à situação espiritual.

Nesse sentido, a palavra “gentio” implicava no fato de que a pessoa estava afastada da vida com Deus, alheia ao povo de Deus. É uma referência ao velho modo de vida daqueles crentes, antes de sua conversão.

E a partir disso, uma série devastadora de frases vem descrever aquela velha maneira de viver, formando um panorama decadente da velha vida:

a) DECADÊNCIA MENTAL

 
Efésios 4.17,18
17 –  ... na vaidade dos seus próprios pensamentos,
18 – obscurecidos de entendimento

O estado mental daquelas pessoas era inferior, oco, vazio. Era apenas vaidade.

Mas aí alguém pode perguntar: como pode Paulo afirmar isso se os principais filósofos vieram algumas gerações antes dele e fizeram avanços tremendos na área do pensamento? Será que Paulo não estaria sendo muito ousado e duro nesta declaração?

De fato, aquela época foi muito rica na área do pensamento humano. Existiam várias correntes:

• A doutrina epicurista  afirmava que o prazer constituía o bem supremo e o alvo mais importante da vida.

• A ética estóica  afirmava que o bem não estava nos objetos e, sim, na sua sabedoria e, domínio que nos permite afastarmo-nos das paixões. As quatros virtudes cardeais do estoicismo eram: sabedoria, valor, justiça e temperança.

• Os sofistas gregos  foram em sua maioria céticos. Uma de suas frases é bem conhecida: “O homem é a medida de todas as coisas”.

Essas correntes eram muito bem elaboradas. Mas elas levavam o indivíduo até Deus?  É claro que não! Por isso, o estado mental destas pessoas era vaidade. Por mais bonitos e profundos que fossem os seus pensamentos, não passavam de vazio.

Eram pensamentos vãos porque ao perder a concepção do Deus vivo, a sociedade pagã também perdeu a concepção do alvo correto - e assim, passou a vagar sem alvo, sem esperança e sem cuidado.
Isto significa que sem o conhecimento de Deus, tudo é em última análise, vaidade. Pois não há qualquer sentido de propósito numa vida sem Deus. Pode até haver muito conhecimento, mas é um entendimento obscurecido a respeito de Deus.

Mesmo com tantos filósofos, com tanta aparente sabedoria, o verdadeiro quadro daquela sociedade era o de uma decadência mental. Esse intelecto acumulado não os aproximava de Deus, pelo contrário, os afastava. Quanto a isso eles estavam obscurecidos.

Aplicação

Vivemos no tempo onde a ciência tem se multiplicado. As pessoas estudam, se tornam especialistas em diversas áreas, mas ao usarem da ciência para afirmar que Deus, mostram que estão obscurecidos do principal e do mais importante conhecimento. Também figuram em estado mental decadente.

• Como alguém pode estudar biologia e não chegar à conclusão que Deus existe? A invenção do microscópio e as tecnologias recentes nos fizeram descobrir que existe um “outro mundo” no mundo em que vivemos. É um mundo repleto de variedade! Já foram catalogados cerca de 800 mil insetos, mas é incalculável o quanto falta ainda para se catalogar.

• O Peixe-Arqueiro  cospe água para atingir o inseto que está fora da mesma. Quem o ensinou a calcular a distância, velocidade do vento, o impulso da água?

• O morcego tem na sua pequena cabeça um sistema de radar. Ele solta uma espécie de som pela boca e conforme o reflexo dos sons nos objetos ele calcula a distância. O ser humano para voar precisar de toneladas de tecnologia nos aviões e um exército de pessoas na terra supervisionando o espaço aéreo. Quem colocou isso na cabeça do morcego?

• Pense no próprio planeta Terra. Nos só não queimamos ou congelamos como alguns outros planetas que têm a temperatura incompatível com a vida porque estamos na distância certa do sol. Uma distância milimetricamente calculada e mantida pela força invisível da gravidade, que permite que a terra e os outros planetas percorram o mesmo caminho sem se chocar, ainda que esse caminho seja sem trilhos, estrada ou freios!

Percebe? As pessoas estudam, estudam, mas a sua ignorância com respeito a Deus faz com que não consigam ver a mão de Deus nestas coisas maravilhosas!

"Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; 21 -  porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. 22 -  Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos, 23 -  e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis."  Romanos 1:20-23

b) DECADÊNCIA ESPIRITUAL


Efésios 4.18b
18b - ...alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração,

Aquelas pessoas, apesar de aparentemente conhecer muito sobre muitas coisas, não conheciam a Deus, não tinham comunhão com Ele. Estavam alheios, distantes, à parte da vida com Deus. Seus corações eram duros e petrificados – pessoas insensíveis.

Aplicação

Assim são aqueles também que não tem Deus na suas vidas hoje. Não lêem a Bíblia, não oram, não sentem necessidade de ir à igreja ou servir a Deus, vivem simplesmente para si mesmos. São incapazes de ver o agir de Deus ou reconhecer as suas bênçãos.

"Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e ouvindo, não ouvem nem entendem. 14 -  E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, e de maneira alguma entendereis; e, vendo, vereis, e de maneira alguma percebereis. 15 -  Porque o coração deste povo se endureceu, e com os ouvidos ouviram tardamente, e fecharam os olhos, para que não vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com o coração, nem se convertam, e eu os cure. 16 -  Mas bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem, e os vossos ouvidos, porque ouvem."  Mateus 13:13-16

c) DECADÊNCIA MORAL


Efésios 4.19
19 – os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução  para, com avidez , cometerem toda sorte de impureza.

A decadência mental e espiritual afetam diretamente o comportamento do indivíduo, gerando a decadência moral.

Pessoas que, no comportamento, também se tornaram insensíveis. Deixaram de ter qualquer apreciação pela verdade de Deus e perderam a capacidade de sentir vergonha em face do mal. São pessoas que não se arrependem, não se entristecem pelos maus caminhos.

E aí entra a dissolução, a imoralidade, uma vida com falta de amor próprio, cheia de licenciosidade e violência libertina. Essa imoralidade ocorre de maneira voraz, com avidez. É algo intenso. É aquele desejo de ter mais do que é devido, é a paixão de possuir sem qualquer consideração para com o que seja justo, ou para com o direito das outras pessoas.

Tendo o coração repleto destas coisas, cometem agora uma variedade de impurezas. Pecam de todas as formas nas mais variadas áreas.

Aplicação

O Carnaval, por exemplo, para a nossa sociedade é quando se esquece a ética, a moral, a dignidade. Seguem-se os desejos e os prazeres. As pessoas não têm vergonha dos seus pecados, na verdade pecam das mais variadas formas, com o coração sempre insensível. Elas perdem a vergonha. É a decadência moral.

"Por isso Deus os entregou, nas concupiscências de seus corações, à imundícia, para serem os seus corpos desonrados entre si; 25 -  pois trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador, que é bendito eternamente. Amém. 26 -  Pelo que Deus os entregou a paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural no que é contrário à natureza; 27 -  semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para como os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro. 28 -  E assim como eles rejeitaram o conhecimento de Deus, Deus, por sua vez, os entregou a um sentimento depravado, para fazerem coisas que não convêm; 29 -  estando cheios de toda a injustiça, malícia, cobiça, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, dolo, malignidade; 30 -  sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes ao pais; 31 -  néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, sem misericórdia; 32 -  os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que declara dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam."  Romanos 1:24-32

Esta é a velha vida, ainda vivida por muitos de nosso mundo, de nossa sociedade. É um panorama decadente, sem dúvida. Qual a nossa vocação diante deste panorama decadente? Devemos ser o contraste, o oposto. É do que Paulo vai falar agora, da Nova Vida.

2 – A NOVA VIDA

"Mas não foi assim que aprendestes a Cristo, 21 – se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus,"  Efésios 4.20,21

a) IMPLICA EM PRATICAR O QUE SE APRENDEU DE CRISTO
Os cristãos não devem andar de acordo com a velha vida. Não devem andar assim porque não foi isso que aprenderam de Jesus Cristo. Observe que Paulo trata a Cristo não apenas como o principal assunto, mas a esfera do ensinamento.

O aprendizado é sobre a verdade que se encontra em Jesus. O propósito de Deus é dominar as mentes dos cristãos, e esta verdade tem implicações éticas. As nossas vidas não estão mais obscuras, as nossas mentes não mais vãs. Não estamos mais alheios de Deus, e sim, caminhando passo a passo na luz plena do Senhor e em comunhão com Ele.

E o que Paulo quer dizer no verso 21 é que se estamos sendo instruídos e ensinados em Cristo, devemos evitar que nos comportemos como se nunca tivéssemos ouvido tais palavras.

Aplicação
E isso é uma coisa que acontece muito. A pessoa vai numa igreja, ouve um ensinamento da Palavra de Deus, mas na sua vida prática, se comporta como se nunca tivesse ouvido nada a respeito de Deus – o que é uma grande incoerência!

João 14:21
21 -  Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.

b) IMPLICA EM UMA MUDANÇA RADICAL


Efésios 4.22
22 – no sentido de que, quanto ao trato do passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano,

A nova vida implica numa mudança radical. E para exprimir tal idéia, o apóstolo usa uma metáfora que lembra o vestuário.

Assim como tiramos de nosso corpo as roupas sujas, tomamos banho e vestimos em seguida roupas limpas e novas, devemos também desvestir o velho homem e nos vestirmos com um novo caráter, com novas qualidades.

O cristianismo promove um desnudamento das coisas velhas, dos comportamentos pecaminosos, da vida de iniqüidade, que acabou de ser descrita por Paulo. Uma vez que nos desnudamos dessas coisas, é necessário que tenhamos novas vestimentas.

A grande razão pela qual devemos nos desnudar dessa velha maneira de viver é porque ela corrompe. O sentido desta palavra no versículo 22 é exatamente poluir, apodrecer. O pecado e a vida em iniqüidade poluem uma pessoa. Podemos comparar como um animal morto em um ambiente fechado  e quente. O ar fica viciado, impuro e poluído!

"Portanto, eu vos julgarei, a cada um conforme os seus caminhos, ó casa de Israel, diz o Senhor Deus. Vinde, e convertei-vos de todas as vossas transgressões, para que a iniqüidade não vos leve à perdição. 31 -  Lançai de vós todas as vossas transgressões que cometestes contra mim; e criai em vós um coração novo e um espírito novo; pois, por que morrereis, ó casa de Israel, 32 -  Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o Senhor Deus; convertei-vos, pois, e vivei,"  Ezequiel 18:30-32

Aplicação

A Bíblia nos fala do que o pecado faz e as possibilidades que ele levanta não passam de um grande engano, de uma grande ilusão. A proposta da serpente no Éden não passou de uma grande ilusão – Adão e Eva se iludiram quando a ouviram.

Hebreus 3:13
13 -  antes exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado;

Vigiemos nossas vidas! O pecado, além de sedutor nos leva diretamente e sem atalhos para a ilusão e o engano! Mesmo que aparentemente a pessoa sem Deus leve uma vida feliz e de sucesso, essa vida não passará de ilusão, pois o que são 70 anos de felicidade se comparados a eternidade daquilo que a espera no inferno, onde haverá total ausência do favor de Deus?

O pecado tem aparência sedutora. Ele vem para nos derrubar e sua sedução é um engano, literalmente. Adultério, corrupção, mentira, tirar vantagem do próximo – as aparentes vantagens destas situações culminam numa grande e frustrante ilusão, num grande engano.

Por isso é necessária uma mudança radical! O cristão deve despojar o velho homem e renovar-se.

Efésios 4.23
23 – e vos renoveis no espírito de vosso entendimento,

O sentido desta renovação é o de Nova Criação de Deus, substituindo que é velho por um novo tipo de vida que não se conheceu anteriormente. Esta renovação é constante e acontece no espírito do entendimento, ou seja, na nossa mente!

Romanos 12:2
2 -  E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Esta renovação só é possível pela habitação do Espírito de Deus no nosso coração. A partir disso haverá um novo modo de pensar e em conseqüência, um novo modo de vida.

Efésios 4.24
24 – e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.

Além de renovarmos nossas mentes, somos revestidos por algo novo. Vida que é criada por Deus e também doada por Ele, em justiça e retidão.

Aplicação

A Palavra de Deus nos exorta para que realmente nos desnudemos quanto à velha maneira de viver. Assim como não fica bem a gente vestir uma camisa toda enlameada com uma calça social limpinha, também não é coerente o cristão viver a nova vida com hábitos da velha vida.

CONCLUSÃO

Aprendemos hoje que a vocação do cristão deve ser seguida com seriedade.

Para isso, deve haver o abandono completo da velha maneira de viver e o desenvolvimento da nova maneira. Mesmo que estejamos cercados por uma sociedade que está em decadência mental, espiritual e moral, não devemos imitá-los, tornando o pecado e a imoralidade coisas comuns e naturais.

Pelo contrário, aprendemos que a nossa nova vida em Cristo consiste em praticar aquilo que aprendemos. E isso implica numa mudança radical, onde nos despojamos das velhas maneiras de viver e nos revestimos e nos renovamos do novo caráter que o Espírito Santo doa.

Para pensarmos, uma pequena ilustração.

Viajantes contam de uma árvore em países tropicais, cujas partes internas são, às vezes, comidas por formigas enquanto a casca e as folhas se mantêm aparentemente bonitas, e sua debilidade só é percebida quando algum vento forte a derruba.

Mas não é a tempestade que a torna fraca, apenas revela o quão fraca era. E sua debilidade é o resultado da atuação de insetos que, por um longo período de tempo, a destroem por dentro.

De certa forma, se nós permitirmos que nosso caráter seja minado por uma constante negligência às nossas obrigações, ou pela tolerância e ocultação dos pecados que cometemos diariamente, ou se cedermos às tentações que habitualmente nos assolam, não poderemos esperar nada mais do que a ruína quando as provações nos atingirem.

Autor: Rev. Andrei de Almeida Barros