Procure

5 Condições Básicas Para se Encher um Vaso


O vaso precisa se encher de todo o precioso conteúdo determinado pelo Senhor. Precisamos que Deus ocupe todos os espaços da nossa vida. Assim, não seremos vazios nem cheios de coisas ruins.

“Não vos embriagueis com vinho, no qual há contenda, mas enchei-vos do Espírito Santo.” (Ef 5.18.)

“A Palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.” (Cl 3.16).

Um pouquinho do Espírito ou da Palavra não basta. Ler um versículo bíblico não basta. Deus tem mais. Não podemos ser econômicos na utilização dos recursos espirituais disponíveis.

Essa plenitude é resultado da dedicação já mencionada. Quanto mais nos dedicarmos ao Senhor, em oração, leitura bíblica, adoração e santidade, maior será a manifestação de sua glória em nós. Tal foi a experiência de Moisés. Depois de ter ficado 40 dias na presença de Deus no monte Sinai, seu rosto brilhava, refletindo a glória do Senhor (Êx 34.29).

“Unges a minha cabeça com óleo e o meu cálice transborda.” (Salmo 23.5.) Com dedicação ao Senhor, nossa necessidade espiritual será suprida. Nosso vaso será cheio e transbordará. Muitos querem abundância de recursos materiais. Tudo bem, isto é possível e pode ser bênção, mas esta não é a prioridade do Senhor Jesus nem do evangelho.

O vaso não pode apenas receber e guardar. Ele precisa, no tempo certo, fornecer o seu conteúdo para suprir as necessidades alheias. Caso contrário, haverá perda daquilo que lhe foi confiado.

Precisamos transmitir, compartilhar, o que Deus nos deu. Não podemos ser dominados pelo egoísmo dizendo: “Se Deus me deu, é meu!” Não. Fomos chamados para servir. Compartilhe a Palavra, a unção e outras bênçãos do Senhor.

O vaso que compartilha, terá sua medida completada novamente. Habilite-se a receber mais. “Dai e ser-vos-á dado.” (Lc 6.38.)

Sejamos como aquelas talhas das bodas de Caná, que foram cheias de água e colocadas à disposição de Jesus. Pelo poder de Deus, a água foi transformada em vinho, que foi servido para que a festa continuasse.

Quando nos colocamos nas mãos do Mestre, prontos para sermos usados, seremos instrumentos dos seus milagres para que muitas vidas sejam alcançadas para o reino de Deus.

Vejamos agora as 5 condições básicas para se encher um vaso:


1. Estar vazio

Os olhos de Deus estão procurando em todo lugar, vasos consagrados e preparados para ele usar, se o vaso é fraco.

O Espírito Santo ao mudar nosso coração, nos capacita para viver a vida nova e convencer-nos de que a experiência de pentecostes é oferecida também a cada um de nós hoje. Espírito Santo no antigo testamento: Eram pessoas escolhidas pôr Deus. Ex. Abraão, Moises, ou seja, os profetas, que recebiam o Espírito Santo. Espírito Santo no novo testamento: Todos podem receber o Espírito Santo. Deixamos de ser criatura para ser filhos de Deus. ALIANÇA DE DEUS .

Deus sempre quis fazer aliança com seu povo. Viu que sangue de animais (holocaustos) não deu,então fez uso do sangue de Jesus. A promessa Antes de sua morte, Jesus disse à seus discípulos: “ No entanto, em vos digo a verdade: é de vosso interesse que eu parta, pois, seu eu não for, o Paráclito não virá a vós.

Mas, se eu vou, “vo-lo enviá-lo a vós” Jo 16-7 Depois quando Jesus ressuscitou, apareceu aos seus discípulos dando-lhes ordem de não se afastarem de Jerusalém, mas esperarem a Promessa do Pai, da qual tanto lhes havia falado durante o seu ministério.(Lc- 24-49) Quando Jesus falava da vinda do Espírito Santo, chamava-a de “a Promessa do Pai” Tratava-se, portanto de um compromisso de Deus com os homens pôr meio de Jesus.

Jesus veio trazer uma vida nova, mas ela não pode ser vivida sem o Espírito Santo e um coração novo, se Deus não cumprisse antes a promessa feita pelos profetas Ezequiel e Jeremias. “ Dar-lhes-ei um coração, porei no seu intimo um espírito novo, removerei do seu corpo o coração de pedra, dar-lhes-ei um coração de carne, a fim de que andem de acordo com os meus estatutos e guardem as minhas normas e as cumpram.

Então serão o meu povo, e eu serei o seu Deus.” Ez- 11 19-20) “ Porque esta é a Aliança que selarei com a casa de Israel depois desses dias, oráculo de Javé.Eu porei minha lei no seu seio e a escreverei em seu coração. Então eu serei seu Deus, e eles serão meu povo” (Jr 31-33) O Coração do homem só pode ser mudado pôr Deus.

É preciso, pois a renovação interior do homem pelo espírito de Deus que o transformará. O Espírito vem transformar o coração do homem. Assim aquele que atua animado pelo Espírito, o faz em virtude da própria exigência do amor que habita nele, e não pela força de uma imposição exterior.

O Espírito muda seu coração de pedra, endurecido pêlos apetites da carne, para que saiba discernir o bem e o mal e ter um dinamismo que o capacite a realizar o primeiro e a evitar o segundo. O Espírito Santo vem para mudar o homem, fazendo-o à imagem e semelhança do próprio Cristo. Sua ação não é acidental ou opcional. È absolutamente necessária.

Sem o Espírito de Cristo, não podemos pertencer a Ele. “ ..quem não tem o Espírito de Cristo, não pertence à ele” Rm 8. 9b Cumprimento da Promessa Logo depois de sua ressurreição Jesus, cheio do Espírito Santo, cumpriu sua promessa: enviou do céu a torrente do Espírito Santo sobre os discípulos que estavam em oração com sua Mãe, Maria. Pentecostes – cumprimento da promessa de Deus aos homens. Jesus glorificado., cheio do Espírito Santo, que dá o seu Espírito Santo aos que crêem nEle.

A promessa do Espírito Santo é para todos, é para cada um de nós. Jesus prometeu com muitas e variadas formas Jesus havia falado do Espírito Santo, que haveriam de receber os que cressem nEle. AT – 2- 1-4 – “ Quando chegou o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos em um mesmo lugar. De repente veio do céu um ruído semelhante ao soprar de impetuoso vendaval e encheu toda a casa onde se achavam.

E apareceram como línguas de fogo, que se distribuíram e foram pousar sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Esp. Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os impelia que falassem” A partir daí toda a vida dos apóstolos mudaram. Testemunhavam Jesus Cristo com garra e destemor. Dos discípulos temerosos e covardes agora apareceram homens com bravura e coragem que proclamavam o nome de Jesus para todos os lados. Profetizavam, dando mensagens em nome de Deus.

Conheceram verdadeiramente a pessoa e missão de Cristo. O Espírito Santo, lhes revelou quem era Jesus e lhes mostrou a verdadeira dimensão salvifica para a qual o Pai O havia enviado. Ensinou-lhes o profundo significado das palavras do Mestre. Levou-os até a verdade completa: ao conhecimento perfeito da verdade, a verdade revelada pôr Cristo Jesus, que é a verdade e a vida At 15-26, 16-13) Jesus transforma corações A efusão do Espírito Santo muda nossos corações de pedra em corações de carne: deu-lhes o mesmo coração de Jesus.

Os discípulos começaram a ter os mesmos sentimentos, interesses e critérios de Cristo. Desde então Cristo vivia neles pela presença do seu Espírito. At 4-32 Jesus, centro de suas vidas Já não buscavam ser servidos, mas servir: serem amados, mas amar, serem compreendidos, mas compreender.

Deste modo experimentaram a verdade das palavras de Jesus. (At20-35) Jesus passou a ser o centro de suas vidas. Começaram a testemunhar com palavras poderosas. Naquela mesma manhã, Pedro tomou a palavra em nome de toda a comunidade, e com discursos de três minutos, converteu três mil pessoas era obra do Espírito Santo que havia transformado aqueles homens.

Começaram a experimentar uma força nova, a força do alto, que os fazia falar em outras línguas, curar enfermos, ressuscitar mortos e toda a classe de sinais, prodígios e milagres que manifestavam palpavelmente a presença de Cristo Salvador no meio deles ( At. 4, 30-31) Nascimento da Igreja Foi fruto também do Batismo no Espírito Santo.

O Espírito Santo não é só alma e o motor da Igreja, é sim o seu criador. Só os que têm o Espírito Santo podem pertencer a Ele. A Igreja está animada por um só e único Espírito: o Espírito de Jesus, que é o Esp. Santo.

A vida de comunhão, harmonia, paz e amor que reinava entre os apóstolos eram de tal maneira nova e atraente que convidavam todos a viveram-na também. A vinda do Espírito Santo inaugurou uma nova era na vida da humanidade. A era do poder de Deus no meio dos homens a era da graça, e era dos adoradores em Espírito e em Verdade. Glorificavam a Deus Desde o momento da Efusão, começaram a dar graças a Deus sempre e pôr tudo. Se eram metidos na prisão cantavam salmos. Se eram açoitados e perseguidos, davam graças a Deus, se passavam fome, louvavam o Senhor. Sempre estavam cheios da alegria do Esp. Santo, ainda que em meio a enfermidade e tribulações. A Graça do Senhor lhes bastava.

“ Se alguém tem sede, venha a mim e beba (Jo 7-37-39). “ ..quem beber a água que eu lhe darei nunca mais terá sede (Jo 4-14) Condição para receber o Espírito Santo Só existe uma condição para beber essa água viva: Ter sede dela. Só que tiver sede pode ir a Jesus para lhe pedir que derrame nele o rio de água Viva.

Devemos reconhecer que temos necessidade do Espírito Santo, que confiemos que Jesus nos dará a Água viva eterna que saciará a nossa sede. Só que para encher um vaso vazio, é necessário que esteja vazio. Para que o Espírito Santo nos encha, é preciso estar vazio de nós mesmos e de todo o pecado.

Existem vasos pequenos, médios, grandes e imensos. Conforme nossa capacidade de receber, assim nos encherá o Espírito Santo. Deus nos encherá de todo o Espírito Santo de que nosso coração necessite. Cada um recebe de acordo com sua possibilidade e capacitação de recepção, depende da nossa abertura, quanto mais aberto e necessitado se esteja, mais se receberá.

Jesus mesmo prometeu.

A Graça do Espírito Santo vem de acordo com nossa vontade, nossa disposição para aceitá-lo. “...Pedi e vos será dado...”( LC 11 9-13) Jesus prometeu um nova efusão do Espírito Santo em nossa vida.

Ele é fiel (1Ts 5-24) Jesus sempre cheio do Espírito Santo que continuamente O está derramando sobre aqueles que lhe pedem. Só temos de pedi-lo a Jesus, que está desejoso de no-lo dar. Jesus prometeu e nós vamos pedir que cumpra sua promessa, porque temos especial necessidade de seu Espírito Santo, precisamos dele. Jesus quer nos dar essa nova efusão do seu Espírito Santo para transformar nossa vida.

Mas, Jesus não nos força a receber. Só se quisermos e lhe pedimos. Não merecemos o Espírito Santo, mas Jesus, o Filho de Deus, o mereceu pôr nós e para nós. Ele pergunta agora a cada um de nós: Você quer? Tem sede de água viva? Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre.

O que fez a dois mil anos, em Pentecostes, pode fazê-lo agora outra vez....mas temos de pedir, temos de aceitar..e reconhecermos que necessitamos e, temos sede da Água viva. A partir desse dia glorioso de Pentecostes, o espírito Santo, continua sendo derramado sobre pessoas e comunidades, homens e mulheres.

Cada um de nos está sendo chamado a viver nosso “pentecostes pessoal”. Hoje é o dia em que Deus oferece a você o dom de seu Espírito Santo. O Espírito Santo nos faz desejar, do fundo dos nossos corações, pregar o evangelho e servir sempre ao Senhor. Fazem-nos zelosos, dispostos, atuantes, para nos engajarmos em nossos trabalhos para servir o reino de Deus.

Andar no Espírito significa viver uma vida que está agradando a Deus. Aqueles que têm a habitação do Espírito Santo O obedecem e andam nELE, apesar de ainda terem as cobiças da carne.

Como é difícil para nós seguirmos o Senhor sozinhos, devemos fazer a obra de servir o evangelho entrando para a Igreja do Deus. Ai receberemos o Espírito Santo, que nos dá força, entendimento, sabedoria, discernimento para levarmos o evangelho de Jesus. Só vamos conseguir viver uma vida no Espírito, a partir do momento que abandonar-nos a nós mesmos, abandonar-nos a vida mundana, as coisas da carne. A obra do Espírito Santo é iluminar o homem na verdade sobre o pecado, sobre a justiça, sobre o amor, enfim tudo sobre o reino de Deus.

“ Se não nascer do alto, não verá o Reino (JO 31.15)

“ Tirarei de vocês o coração de pedra (EZ 36.26)

“ O Esp. de Javé virá e te transformar (IS 10.6)

“ A Igreja cresce com a ajuda do Espírito Santo ( AT 10.31)

2. Estar desemborcado

O Vaso não é usado na casa do Senhor para enfeite; mas para que Deus derrame azeite.

Deve ser limpo, sem rachaduras, desemborcado, pronto para ser cheio e usado por Deus, que é o Oleiro; Ele deve moldar esse vaso conforme a Sua vontade e sempre devemos ser vasos de honra, nunca para desonra...

O vaso não deve jamais dizer ao Oleiro como deve ser moldado, porque o Oleiro é sábio para fazê-lo, mas quando o vaso sai com fissura, o Oleiro toma o vaso, quebra e molda novamente. Nós como vasos de Deus, devemos esperar que o Espírito Santo de Deus, venha encher-nos, devemos deixar que Ele faça a obra.

Para que o Espírito Santo faça a obra, nós devemos nos entregar ao Oleiro e deixar que após moldados e queimados no fogo, ou seja, refinados, possamos ser usados da maneira como Ele quer.

Somos o barro na mão do oleiro. Devemos sair da nossa posição cômoda, da zona de conforto; Deus quer nos fazer vasos conforme o que parecer bom ao próprio Deus e o que Deus faz sempre é bom, Ele é o Senhor de todas as coisas, nada foge ao Seu controle, nem o barro no torno...

Um vaso bem moldado, não vazará azeite, um vaso desemborcado trará alegria para o Senhor.

Devemos dizer a Deus: "Quero ser um instrumento usado por Ti, para fazer a Tua vontade e dizer ás nações necessitadas que SÓ O SENHOR É DEUS.

Somos vasos para fazer a obra do Pai.

Sem pedreiro, uma casa não é levantada de conformidade com a planta...

Sem oleiro, um vaso não pode ser moldado com perfeição, ele não molda a si próprio...

você, que é vaso, mas ta virado com a boca pra baixo, e você, que ta com rachaduras o teu vaso, você que tem uma boca enorme e só quer falar e não deixa Deus falar com você, e você, que tem medo de ser moldado pelo Oleiro... PAREM!!! Deus quer te usar, sai agora da zona de conforto e arregace as mangas pra trabalhar... Deus quer te usar VASO... entra na presença do Oleiro e deixa Deus fazer a obra!

Deixe a essência do poder de Deus encher teu vaso, pois toda honra é dEle e não nossa!

3. Sem rachaduras

Às vezes uma rachadura em um vaso é imperceptível, ninguém vê. Entretanto, se algum líquido for despejado naquele vaso certamente irá vazar e o líquido será desperdiçado. Esses vasos são mais comuns do que se imagina.

Qualquer vaso eu uso ou desuso pode ter uma rachadura. Essas rachaduras são brechas que deixamos em nossas vidas, são pecados que não queremos abandonar, sentimentos pecaminosos, em fim, as obras da carne. Quando não lutamos pra vencer tais obras, as rachaduras só aumentam, e quando Deus derrama a sua unção, ela é desperdiçada.

4. Estar limpo

A Bíblia nos compara aos vasos de barro preparados pelo oleiro por meio de um processo transformador que vai além da aparência, afetando o caráter e o modo de vida (Jr.18.6). Tal é o resultado da ação de Deus em nós, que começa até mesmo antes da conversão (At 9.15).

Depois de moldado, o vaso não se destina à ornamentação da casa do Senhor.

A mentalidade das pessoas está tão voltada para o materialismo, que o verbo “receber” tem sido relacionado quase sempre ao dinheiro. Se alguém diz: “Eu recebo no dia 10”, ninguém tem dúvida de qual seja o objeto oculto na frase. Contudo, precisamos ver além dos limites financeiros da nossa vida. Ainda que tenhamos todo o dinheiro do mundo, ele não substitui os valores mais importantes da nossa existência.

O vaso na casa de Deus precisa receber encher-se e servir. Precisa receber porque não pode ser a origem do seu próprio conteúdo. O que temos não vem de nós mesmos (2 Co 2.5). Disse o apóstolo Paulo: “Eu recebi do Senhor o que também vos entreguei” (I Co.11.23).

Não podemos inventar doutrinas. Não podemos simular espiritualidade nem tentar imitar a performance ministerial de outros homens de Deus. Seria como fogo estranho sobre o altar (Lv.10.1).

Não sejamos falsos profetas, que nada receberam, mas estão profetizando. Precisamos receber de Deus e não de qualquer fonte. Cuidado com o conselho dos ímpios (Salmo 1) e com as ofertas tentadoras que nos cercam (Mt.4.1-11). Precisamos receber o quê? Apenas bênçãos materiais? Só coisas que atendem aos nossos desejos pessoais? Não. Não podemos transformar o evangelho em um conjunto de técnicas a serviço do ego. Deus pode nos dar coisas, e ele nos tem dado, mas não percamos de vista aquilo que é o mais importante.

Todo ser humano precisa:

1- Receber o Senhor Jesus Cristo como Salvador.

“Ele veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (Jo 1.11-12).

Receber Jesus como Salvador é um ato de fé, confirmado por uma manifestação pública. É acreditar, decidir e manifestar essa decisão por meio de uma oração e, se possível, confissão verbal.

“Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Rm.10.9-10).

2- Receber o Espírito Santo e ser por ele batizado.

“E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo” (Jo 20.22).

Aquele fato não poderia ter acontecido antes da morte e ressurreição do Mestre. Para os cristãos da atualidade, entretanto, não é necessário um intervalo entre a conversão e o recebimento do Espírito. Paulo disse que “se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele” (Rm 8.9). Logo, todo convertido recebeu o Espírito Santo quando aceitou Jesus como salvador. O batismo com o Espírito, porém, é outra experiência, também conhecida como “revestimento de poder” (Lc 24.49).

Os apóstolos receberam o Espírito Santo quando Jesus assoprou sobre eles, mas o batismo só aconteceu no dia de Pentecoste (At 2).

3- Receber a Palavra de Deus.

“Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas” (Tg.1.21).

O vaso não pode conter tudo ao mesmo tempo. Se a palavra entra, a imundícia tem que sair, mas isso depende também da vontade de cada um.

Geralmente, começamos a receber a palavra antes de aceitar o Senhor Jesus. Afinal, este é o modo padrão de se obter conhecimento sobre nossas necessidades espirituais. Depois de convertidos, precisamos ainda mais da palavra a cada dia.

O Senhor nos deu a bíblia, mas muitos cristãos não a lêem. Isso nos faz lembrar o que Deus disse a respeito de Israel por meio do profeta Oséias:

“Escrevi-lhes as grandezas da minha lei, mas isso é para eles como coisa estranha” (Os 8.12).

Não podemos desprezar a palavra de Deus, pois ela é o alimento para as nossas almas. Abster-se da alimentação é uma ótima atitude para quem quer adoecer e morrer.

É preciso tomar cuidado com o que aprendemos da filosofia, sociologia, antropologia, psicologia e outras áreas do conhecimento humano. Podemos examinar e utilizar tudo isso, mas a nossa mensagem deve ser bíblica em sua essência e propósito. Tal deve ser também nosso modo de pensar e viver.

Todo aquele que se considera um vaso nas mãos de Deus precisa receber o que Deus quer lhe dar. Isso implica em uma atitude de humildade, reconhecendo nossa necessidade espiritual. Nenhum de nós pode se considerar sabedor de todas as coisas, como se fosse auto-suficiente. Tais atributos pertencem exclusivamente a Deus.

O vaso de honra precisa colocar-se diante de Deus em atitude receptiva, sem tampa, sem bloqueios, assim como um copo é colocado sob a torneira aberta para receber água limpa.

Para que recebamos algo de Deus, precisamos nos colocar aos seus pés, como fez Maria, irmã de Lázaro (Lc 10.39). Isso requer tempo dedicado ao Senhor. Essa atitude deve ser constante para que sejamos renovados em sua

5. Estar puro

O vaso precisa estar limpo, por dentro e por fora. Aqui estão incluídos os pecados visíveis e os ocultos, do corpo e da alma, os que o homem vê e os que só Deus vê.
Um detalhe que temos a observar é que o vaso só recebe, não coloca coisas, mas pode permitir que elas fiquem nele O conteúdo do vaso.

Na Bíblia encontramos vasos contendo água (João 2), vinho (Jo 2), perfume (Lc 7.37), azeite (2 Rs.4), maná (Êx.16.33), tesouro (II Cor.4.7), vinagre (Jo 19.29), etc. Precisamos nos livrar do conteúdo maligno, o pecado guardado. Precisamos nos encher da palavra de Deus (Cl.3.16) e do Espírito Santo (Ef 5.18).

Os Tipos de vaso:

1.1- Em 2 Tm.2.20, Paulo chegou a dizer que numa grande casa há uma grande diversidade de vasos. Vasos de ouro, de prata, de madeira, e também de barro.

1.2- Em At.9.15, o próprio Paulo foi chamado por Deus de “vaso escolhido”.

1.3- No SL.31.12, o próprio Davi se sentia como um “vaso quebrado”.

1.4- De acordo com Pv 25.4, é preciso tirar a escória, para que o vaso se torne útil para o ourives.

1.5- Em Is 66.20, o profeta fala de “Vasos puros” na Casa do Senhor.

1.6- Em Jr 18.1-6, o povo do Senhor é comparado ao vaso na mão do Oleiro.

1.7- Em Rm 9.21, Paulo fala de “vasos de honra” e “vasos de desonra”.

1.8- Em Rm 9.22-23, Paulo fala de “vasos da ira” e “Vasos de misericórdia”.

Você já meditou sobre qual tipo de vaso você é? Não importa se é um vaso de enfeite, um vaso rachado, um vaso quebrado e até mesmo um vaso útil: Todos nós precisamos descer à casa do oleiro.

Muitas vezes duvidei se realmente eu era um vaso escolhido, porque eu olhava somente para as minhas limitações e falhas e esquecia de me entregar totalmente ao oleiro. Hoje compreendo que pra ser um vaso útil e cheio da unção de Deus é preciso ser quebrantado pra deixar o oleiro fazer o que ele quiser, ainda que rolem as lágrimas.

A sua fé pode estar despedaçada, o seu coração vazio ou você está pensando em desistir. Saiba que você é sim, um vaso escolhido e que o Oleiro quer hoje mesmo te restaurar, te curar e te encher de uma nova unção.

Que Deus nos abençoe e nos guarde no seu grandioso amor em nome de Jesus, amém!

Autor: Jânio Santos de Oliveira