Procure

Estudo Bíblico O Inferno é Real?


Introdução
Sei que este assunto causa medo em quem não tem a certeza de sua salvação; mas o assunto é real e verídico. Assim como existe o céu existe também o inferno. Alguns “Teólogos” usando de vãs filosofias procurando negar essa verdade bíblica esforçam em negar essa doutrina. Mais negar que o inferno existe é negar princípios básicos do Cristianismo. O Senhor Jesus advertiu os homens sobre essa verdade irrefutável, ele disse: “... ali haverá pranto e ranger de dentes” (Mt 24.51; qv. 25.30).

O inferno e a sua definição

A palavra “inferno” vem do latim “infernus” que significa “lugar inferior” para traduzir sheol no AT., e do grego no NT. , geenna, Gehena, inferno; hades, região dos mortos. Jerônimo translitera o termo tartaroo, “lançar ao Tártaro/ao inferno; prender no inferno.”

Geena é a uma expressão hebraica gei-hinnom, “vale de Himonom”, de onde originou o termo geenna, mas não aparece na Septuaginta. Era o nome de um vale localizado no sul de Jerusalém. Nele eram sacrificadas crianças, em ritual pagão, num lugar chamado “Tofete”, que significa “altar”. Neste lugar os reis de Israel sacrificavam a ídolos e, dentre eles, o rei Salomão. O Rei Josias, porém fez uma devassa no local, fazendo dele um deposito de lixo, onde o fogo ardia continuamente até aos dias do ministério de Jesus (Js 15. 8; Jr 7. 31; 2 Rs 23. 10).

Jesus ensinou a existência do inferno

Muitos incrédulos têm questionado a realidade do inferno, entre eles Bertrand Russell, disse que quem ameaça pessoas com o castigo eterno, como Jesus fez, é desumano. No entanto As Escrituras afirmam enfaticamente a doutrina do inferno. A Bíblia fala da queles cujo nome não está escritos no livro da vida, serão lançados no lago de fogo (Ap 20. 11-15). Alguns estudiosos da Bíblia não excitam em afirma que o mestre ensinou mais sobre o inferno que o céu. Jesus advertiu: “Não tenham medo dos que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Antes tenham medo daqueles que pode destruir tanto a alma como o corpo no inferno” (Mt 10. 28). Ele acrescentou sobre os aqueles que o rejeitam: “Assim como o o joio é colhido e queimado no fogo, assim também acontecerá no fim desta era” (Mt 13.38). No sermão profético no monte das Oliveira Jesus disse que no juízo final Deus dirá aos que estiverem a sua esquerda: “... Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos” (Mt 25. 41). Não da pra questionar o ensino do nosso mestre. O inferno existe e é real e não se trata de purgatório, aniquilação, reencarnação.

Os crentes salvos poderão ser felizes se uma pessoa querida sua estiver no inferno?

O nosso Deus esta perfeitamente feliz no céu e ele sabe que nem todos estarão lá. Se não pudéssemos ser feliz sabendo que alguém estar no inferno, nossa alegria não dependeria de nós, mas de outra pessoa. A pressuposição desta questão é que muitos querem ser mais misericordiosos que o próprio Deus. Podemos sim ser felizes no céu da mesma forma que podemos ser felizes comendo e sabendo que outros estão morrendo de fome, desde que tenhamos tentado alimentá-los, mas eles recusaram a comida. Assim como podemos curar lembranças tristes aqui na terra, Deus também enxugara dos nossos olhos toda lagrima no céu (Ap 21. 4).

O inferno e as Escrituras Sagradas

Nas Escrituras são usadas algumas palavras para descrever esse lugar de sofrimento. Dentre outras palavras são usadas freqüentemente: Inferno, Sheo, Geema, Abismo, Queber, Abadom, Apoliliom, Tártaro, Poço do Abismo, Hades, Lago de Fogo, etc. São usadas no Novo Testamento expressões para representar o inferno como:

· Fogo eterno (Mt 25. 41);
· Trevas exteriores (Mt 8. 12);
· Tormento (Ap 14. 10-11);
· Castigo eterno (Mt 25. 46);
· Ira de Deus (Rm 2. 5);
· Segunda Morte (Ap 21. 8);
· Eterna destruição (2 Ts 1. 9);
· Eterno juízo (Mc 3.29);
· Cadeia da escuridão (2 Pd 2. 4);
· Prisões eternas (Jd v. 6);
· E Lago de fogo (Ap 20. 14) etc.

Neste lugar não há possibilidade de se fazer mais nada por alguém. É verdade que Deus quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade (1 Tm 2. 4, qv. Tt 2. 11; Hb 2. 3). Mais a salvação é enquanto estamos em vida, precisamos aceitar a Jesus como salvador (Is 55. 6; Hb 9. 27). Na passagem bíblica do Rico e Lázaro, vemos que há impossibilidade de se fazer algo pra quem estar la; Por mais que muitos queiram dizer que a parábola não se tratar de algo real ou fato verídico. Essa passagem bíblica, ela é real e verídica pelo menos por duas razões: primeira questão falta elementos parabólicos. Os títulos dados as passagens bíblicas não vem nos textos originais, exceto os que aparecem em negritos apenas nos Salmos. A expressão “Parábola do Rico e Lázaro” não costa nos originais. Em nossa Bíblia é colocado pelos editores que publicam Bíblia, para facilitar o estudo dela.

Segunda questão parábola é uma ilustração para extrair lições e verdades espirituais. É uma maneira figurada de se ensinar uma verdade. A bíblia não mostra que o caso em apreço não tem por inicio: “O reino dos céus é semelhante” e nem “assemelhá-lo-ei...” ou algo desse tipo; mas “Havia um homem...” (Lc 16. 16). Uma maneira típica de se introduzir uma narrativa no Velho Testamento (1 Sm 1. 1; Jó 1. 1). Mas de qual quer forma, parábola ou não, a mensagem continua a mesma.

Perguntas sobre o inferno

Onde se localiza o inferno?

O inferno sempre estar em uma direção contraria a de Deus. Deus estar “em cima” o inferno estar em baixo. Deus estar “dentro” o inferno estar fora etc. Observe os textos Bíblicos e retire a sua própria conclusão, sobre um “possível lugar” geográfico do inferno, fala sobre o “seio da Terra” ou “o interior da Terra” (Pv 15. 24; Fl 2. 10; Ef 4. 9).

Haverá graus de sofrimentos?

Acreditamos que sim. Jesus ensinou que haverá menos rigor para Sodoma do que para Cafarnaum (Mt 11. 24). No inferno o castigo eterno é escalonado cada um recebe de acordo com a sua obra: “E o servo que soube a vontade do seu senhor e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites. Mas o que a não soube e fez coisas dignas de açoites com poucos açoites será castigado. E qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá” (Lc 12. 47-48). O apóstolo Paulo ainda faz uma afirmação que cada um receberá o castigo conforme a sua obra (Rm 2. 5-6; 2 Tm 4. 14).

Para não ficar só nesta questão, pois será novidade para muitos é melhor citar nomes de peso como o Pr. Severino Pedro da Silva (Apocalipse versículo por versículo P. 259, CPAD). Dr. Norman Geisler (Teologia Sistemática Vol. II, P. 821, CPAD). Em uma obra o Dr. Geisler com outro mestre da Apologia Cristã Ron Rhodes afirmam a mesma coisa. (Resposta às Seitas P. 440, CPAD). O Apologista e Pr. Esequias Soares diz: “O castigo divino é escalonado...” (Livro Repostas bíblicas ás Testemunhas de Jeová, P. 198, Editora Candeia Ano, 2009).

Conclusão
O inferno é um fato real e verídico. Decidimos-nos nesta vida, onde viveremos a nossa eternidade. O inferno existe! E não é simplesmente o Hades mitológico dos gregos, onde Zeus mandava aprisionar debaixo da terra pessoas para o seu castigo. O Hades é um lugar real de tristeza e dor, onde todo aquele que viveu e morreu sem ter aceitado a Jesus como salvador estará na sua eternidade. Só Jesus pode nos livrar desta realidade.

| Autor: Esiel de Souza Oliveira | Divulgação: EstudosGospel.Com.BR |