Procure

Em Êxodo 25.17-22,Deus está permitindo a adoração de imagens?


“Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório” (Êx 25.18).

       Segundo os apologistas do catolicismo romano, o texto em referência comprova a liberação para a adoração de imagens. Dizem que se Deus ordenou que se fizessem esculturas de querubins, logo, isso significaria que eles podem e devem ser adorados. Perguntam: “Por que Deus mandaria construir aquelas imagens se não fosse com o objetivo de serem adoradas?”.
       Um dos mais importantes conselhos que a hermenêutica nos confere, a fim de nos auxiliar na correta interpretação textual, é que nunca devemos interpretar um texto sem observar seu contexto. No caso em questão, como Deus poderia permitir a adoração de imagens, considerando que em todo o contexto bíblico Ele a proíbe? (Êx 20.23; 34.17; Dt 9.12; Hc 2.18; 1Jo 5.21, etc). Ou Deus está se contradizendo ou o catolicismo romano está vendo no texto bíblico algo que não existe (eixegese). Logicamente, Deus não se contradiz, pois sua natureza é divina e o Senhor não é como o ser humano (Nm 23.19; Is 45.12; Os 11.9). Resta-nos, então, a segunda alternativa.
       É importante entender que nãonenhuma oposição bíblica quanto a alguém possuir em casa uma escultura, uma obra de arte, e utilizá-la para fins decorativos. Ou, ainda, quanto a alguém carregar consigo a foto de um parente. Absolutamente. Mas daí a venerar ou adorar tais objetosuma distância abissal e constitui idolatria, o que é terminantemente proibido por Deus (Êx 20.4,5).
       Algumas imagens que Deus mandou confeccionar não tinham por objetivo elevar a piedade de Israel e tampouco serviam de modelo para reflexão ou conduta. Eram apenas símbolos decorativos e representativos. Deus mandou fazer a Arca da Aliança; mandou confeccionar figuras de querubins no Tabernáculo e no Templo (Êx 25.10-16; 1Rs 6.23-29), além de outros ornamentos (1Rs 7.15-50). Essas figuras, porém, jamais foram adoradas ou veneradas, ou vistas como objetos de devoção ou adoração. Se os filhos de Israel tivessem adorado, cultuado ou venerado esses objetos, Deus, sem sombra de dúvida, teria mandado destruí-los, como aconteceu com a serpente de bronze (2Rs 18.4).


Fonte:  ICP Responde