Procure

Estudo Bíblico Os Benefícios do Jejum

Isaías 58.6-12


         Há duas semanas, nós tivemos uma convocação geral para um jejum de quarenta dias. Contudo, nem todas as pessoas se dispuseram a jejuar. Cada uma tem a sua razão: algumas decidiram não jejuar por comodismo, outras por pensarem que não há necessidade e ainda outras por acharem que a responsabilidade não é delas. Mas, eu percebo que a maior parte dos crentes decide não jejuar porque não sabe qual é, verdadeiramente, a finalidade no jejum. Talvez você seja uma dessas pessoas! Você não sabe porque razão você deve jejuar nem os benefícios que pode haver na prática do jejum. Essa resposta você vai encontrar em Isaías 58.6-12. Esse é um texto maravilhoso sobre o jejum. Em todas as suas palavras Deus nos está convidando a praticar o jejum. Por que?

O jejum traz para a cidade uma nova prática nos negócios (Isaías 58.6)

         Deixe-me explicar melhor: as pessoas têm um pensamento equivocado acerca do jejum. Elas pensam que é simplesmente ficar sem comer ou beber, mas não é só isso. Se o jejum da pessoa se resumir apenas ao ficar sem comer e beber, isso será somente uma dieta e talvez o único benefício que a pessoa vai ganhar sejam alguns quilos a menos.
         O jejum vai além do ato de não comer e beber. Ele necessariamente leva o coração da pessoa a ser tocado por Deus. Quando o jejum é praticado, algumas transformações acontecem no coração da pessoa. Ela começa a experimentar mudanças que afetam toda a sua vida e, conseqüentemente, a vida das pessoas que estão do seu lado. É inevitável que as mudanças ocorram. Uma das mudanças é a que lemos no versículo 6 de Isaías 58, que diz que o jejum não é “soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e romper todo o jugo”. Isso que é jejum; é mudança de postura.
         Isso significa que quando você pratica o jejum, você sente o desejo de não mais explorar as pessoas, de não mais reter o dinheiro que é do seu empregado, de não mais ganhar dinheiro às custas do mais pobre, do menos capacitado ou do menos habilitado no mundo dos negócios. Quando você pratica o jejum, você sente o desejo de ser honesto com os seus empregados, com os seus clientes, com os seus sócios e com todas as pessoas que vêm até você. Isso traz benefícios às pessoas que estão do seu lado, e, conseqüentemente, à sua cidade, que é abençoada com o seu jejum!

O jejum traz para a cidade uma nova prática da solidariedade (Isaías 58.7,10)

         O jejum é, sobretudo, uma tomada de postura para com o próximo. Se isso não acontecer, então não é jejum o que você está fazendo, pois ele necessariamente leva você a ficar mais solidário com o outro. Você quer saber se ele está bem, se a sua família está gozando saúde, se ele tem comida dentro de casa, se os seus filhos estão bem agasalhados, se ele precisa de alguma ajuda. O jejum é aquele que leva você a sair do seu mundo para entrar no mundo do outro a fim de ajudá-lo.
         É isso que Deus fala sobre o jejum no versículo 7:
 
“Não é partilhar sua comida com o faminto, abrigar o pobre desamparado, vestir o nu que você encontrou, e não recusar ajuda ao próximo?”  Isaías 58.7
        O jejum arranca do coração do homem aquela mentalidade individualista que o faz viver preso no seu mundo, pensando somente nas suas coisas e cuidando apenas dos seus interesses – natureza egoísta e abominável a Deus. O jejum faz a pessoa perceber que ela não está sozinha no mundo e que existem outras pessoas com as quais ela pode se relacionar. E é por isso que o jejum abençoa toda uma cidade. Pense em você, crente, ajudando uma pessoa e depois, num segundo, saindo do próprio mundo; e um terceiro se libertando do egoísmo; e em dez pessoas fazendo o mesmo, cem, mil, duas mil, cinco mil, dez mil crentes que decidem jejuar! Todas essas pessoas vão abandonar o egoísmo, vão sair do próprio mundo, vão buscar a solidariedade, vão trazer bênção para a sua cidade!

Autores Diversos