Procure

Há diversas formas de se olhar para o texto bíblico. Por ser um Livro com milhares de anos de existência e que traz em seu conteúdo verdades de fé, é possível lê-lo de várias maneiras. Confira 6 dicas para a leitura da Bíblia...
A Palavra de Deus é viva e eficaz. Ela discerne os pensamentos e as intenções do coração e transforma vidas por toda a eternidade. Conheça essas comoventes histórias do incrível poder transformador da Bíblia.
O problema nas igrejas da Galácia envolveu a presença de 'algumas pessoas' que estavam ensinando um falso evangelho. Os nomes destas pessoas nunca são citados no livro de Gálatas, talvez por causa de desprezo. Este novo evangelho que estava sendo promulgado pelos falsos mestres não era nem evangelho. A palavra 'evangelho' significa 'boas novas'. A mensagem pervertida não era boas novas porque não conduzia à salvação.
A palavra Bíblia vem do grego, através do latim, e significa - livros, foi escrita num período que abrange mais de 1600 anos por cerca de 40 autores, das mais variadas profissões - de humildes agricultores, pescadores até renomados reis, exemplos de Moisés Líder Político.... Não existe outro livro que se iguale em tradução ou circulação, são milhões de exemplares em mais de 240 línguas e dialetos, 739 idiomas, 1.280 línguas com mais de 3.000 tradutores.
As Escrituras Sagradas são a pura e autêntica revelação da Palavra de Deus aos homens. Aos cristãos cabe o zelo de defendê-la, examiná-la, nela perseverar para que nos seja útil e nela nos seja revelado o caminho da Salvação.
A melhor maneira de estudar a Bíblia é simplesmente lendo-a atentamente todos os dias, expondo-se em oração à luz do Senhor que dela procede.
Ao homem está determinado mortal penalidade; mas o Santo Deus descerá ensinando que Sua morte trará ao sem esperança, o descanso. Eis aqui o Evangelho oculto na genealogia de Gênesis! Fica demonstrado desde os primeiros capítulos do Livro de Gênesis, que Deus já havia determinado completamente Seu plano de redenção para a grave situação da humanidade.
Os livros apócrifos foram escritos nos 400 anos do Período Interbíblico, isto é, entre Malaquias e Mateus, ou entre o Antigo e o Novo Testamento, época de ausência total da revelação divina. 
Jesus e os santos bíblicos estão incluídos nessa proibição, quer suas imagens sejam esculpidas em pedra, bronze, madeira, ouro, prata ou em qualquer material. 
"porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou: por isso abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou".
Com a queda da cidade de Jerusalém, os judeus perderam a nacionalidade - ficaram sem pátria - e passaram a viver como peregrinos e estrangeiros em outras nações.