Procure

Estudo Bíblico Um Deus de vivos, não de mortos

Mateus 22.31-32


"E, quanto à ressurreição dos mortos, não lestes o que foi dito por Deus: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus de mortos, mas de vivos."  Mateus 22.31-32

         A primeira semana do mês de Novembro em muitas partes do mundo, e aqui no Brasil, é o momento em que as pessoas lembram dos seus mortos. O dia 2 de Novembro passado foi o dia em que as pessoas visitaram os cemitérios em todo Brasil. Muitas velas, flores, e até comida e bebida foram oferecidos aos seus mortos.
         Resolvi lançar uma luz neste artigo, de forma bem resumida, explicando o que a Bíblia diz sobre os dias depois de nossa morte. Não quero aqui, entretanto, entrar em polêmica com alguns irmãos, logo somente vou falar, de forma generalizada, sobre as promessas de Deus para nós, os que crêem no plano de Deus para salvar a humanidade. Deus, antes mesmo de o mundo existir e o ser humano ser criado, pela sua Onisciência, já tinha um plano para "conquistar" o homem. Por que conquistar ? Porque Deus não criou robôs para o adorar, mas seres conforme sua imagem e semelhança que pudessem escolher por si mesmos adorá-lo. Sim, dentre todos os seres o homem é o único que pode escolher com consciência. Por isto o homem arca com as conseqüências de sua escolha. Conseqüências boas ou ruins. O arquiteto de todo Universo não fez o homem ao léu. Deus sabia que muitos se desviariam para o mal caminho, se afastariam dEle, mas sabia também que muitos o amariam e o escolheriam como Senhor de suas vidas. Por isto a expressão de Deus, nas pessoas de Pai, Filho e Espírito Santo, resolveu enviar o único Filho de Deus, o Deus Filho, Jesus Cristo, que se desfez de sua Divindade, e veio em carne, em forma humana, para que por meio de seu sacrifício na cruz pudesse ser o Messias, o ungido de Deus, o enviado, para que todo que nEle crer venha ter a vida eterna e seja reconciliado com Deus.
         O versículo Bíblico acima, de Mateus 22, fala que Deus não é um Deus de mortos, mas de vivos. A Bíblia nos promete a Ressurreição. Esta palavra é a chave para entendermos o que Deus fará as pessoas que morrem. A promessa da Ressurreição nos é dada por Deus na Bíblia em muitos versículos: Isaías 26.19; Daniel 12.2; Salmo 49.14, 15; Mc 12.24-27; Rm 4.17; 1 Co 15.1-58; 2 Co 5.15-17; 1 Ts 4.16s etc.
         O apóstolo Paulo diz em I Coríntios 15.20 que assim como Jesus ressuscitou primeiro, nós também, os que nEle cremos, ressuscitaremos. Jesus mostrou que era Ele mesmo quando mostrou a Tomé as marcas dos cravos que o pregaram na Cruz. Jesus não assumiu outro corpo para aparecer aos discípulos. Mas Jesus, em seu próprio corpo, marcado pelos ferimentos da Cruz, porém Glorificado, Transformado pelo poder do Espírito Santo, agora podia atravessar paredes, podia desaparecer, e também voar. Ele poderia aparecer com um corpo perfeito, o mesmo antes da crucificação, mas quis mostrar aos discípulos o sentido da Ressurreição. Ao mesmo tempo que Jesus podia comer e beber com os discípulos, Ele podia também sumir como um espírito o faz. Sim, este é o corpo glorificado que receberemos. A morte definitivamente não é o final para os que crêem em Deus, e entregam a Ele suas vidas.
         Muitos tentam entrar em contato com os mortos, mas Deus proibiu esta prática (Deuteronômio 18.9-11) e ainda disse que é uma abominação, um pecado muito grande diante dEle (Deut 18.12).
         Para nós que estamos na Terra, em nossos corpos físicos, os que morrem deixam de existir fisicamente. Mas para Deus, estes espíritos vivem. Vamos analisar Lucas 16. Jesus narra o destino de Lázaro e de um homem rico conforme descrito em Lucas 16.19-31. Não creio que isto seja uma parábola, já que Jesus cita Abraão como personagem real deste relato. Abraão não é um personagem de fábula, mas alguém que existiu, aliás, o pai de Judeus e Árabes. Jesus sendo Deus, conhecia profundamente o que ocorria no outro lado da vida e cita que o rico ao morrer entrou logo em sofrimento, e que Lázaro entrou logo na "presença de Abraão". Posso afirmar que Abraão já estava na presença de Deus, pois os anjos de Deus conduziram Lázaro até lá. Quando olhamos para Apocalipses 5.8 vemos os 24 anciãos prostrando-se diante do Cordeiro, logo, antes mesmo do Juízo final acontecer, já estavam com Deus. (Apocalipses 5 narra o cordeiro rompendo os selos e abrindo o livro para os tempos de tribulação). Não tenho dúvidas de que Abraão é um destes 24 anciãos que já estão na presença do Todo Poderoso. Apocalipses 7.9, 13-17 também mostra os salvos diante do trono de Deus mesmo antes de ter ocorrido a Juízo Final (ver também Ap 5.9-11). Se Lázaro foi a presença de Deus, também nós iremos assim que o espírito sair do corpo, no momento de nossa morte.
         No ano passado, indo ao trabalho, um senhor sentou-se ao meu lado no ônibus, o qual logo vi que era um "gringo" (pelo sotaque parecia ser Britânico). Ele pertencia a uma religião não-Cristã e logo pude identificar qual era esta quando ele começou a falar. Quando ele disse que ao morrer não vamos à presença de Deus, mas ficamos "dormindo" eu citei Lucas 23.43:
 
"E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso". Este senhor deturpou a palavra e veio dizer que a tradução correta era "... Em verdade te digo hoje que estarás comigo no paraíso". Lucas 23.43
        Ele veio dizer que o ladrão não estaria com Jesus no paraíso no mesmo dia de sua morte, mas que Jesus lhe disse naquele dia que ele estaria (em um dia futuro) com Cristo no paraíso. Não é isto o que a Bíblia diz no original grego. Aquele senhor não sabia que eu era na época um seminarista da Igreja Batista e que já tinha estudado 1 ano e meio da língua grega. Então citei que no original a palavra "hoje" era perfeitamente traduzida como sendo o dia em que o ladrão estaria com Jesus no paraíso, no Reino Eterno. Pude ver o semblante do homem ficar alterado e ele bufava de raiva sobre minha interpretação bíblica. O texto original no grego diz o seguinte: "... Kai eiten auto o Iesus amen lego soi semeron met emon esse en to paradeiso". A tradução gramatical correta, seguindo a flexão das palavras em relação à palavra "hoje" é a seguinte:

E então disse Jesus: "Verdadeiramente te digo: Hoje comigo mesmo estarás no paraíso".  LUCAS 23:43
        Note que a palavra "hoje" (Semeron no grego) está flexionada e interligada com a palavra "comigo" (Eimon no grego) o que sem sombra de dúvidas é traduzido como "hoje comigo mesmo". Quando levamos a sério a palavra de Deus podemos entender que as promessas de Deus também são sérias. A mensagem apocalíptica da Bíblia é que aqueles que crêem em Jesus não devem temer a morte, pois viverão com Deus por toda eternidade. E aqueles que morreram, mas que creram em Deus, e nas suas eternas palavras registradas na Bíblia Sagrada, estes já estão no paraíso com Deus, como aquele ladrão da cruz que aceitou que Jesus era seu Salvador.
         Sei que qualquer assunto que diz respeito ao "pós morte" não é fácil e gera muita polêmica devido ao vasto número de interpretações bíblicas neste sentido. Mas devemos lembrar das palavras do Senhor que nos trazem esperança:
        "Deus não é um Deus de mortos, mas de vivos" Mateus 22.32
 
"Disse-lhe Jesus: Eu sou a Ressurreição e a vida. Aquele que crê em Mim, ainda que morra viverá; e quem vive e crê em Mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso ?" João 11.25

         Que você possa crer firmemente nestas verdades bíblicas e neste palavra de conforto do Senhor Jesus Cristo, pois só Ele é quem nos garante a vida eterna junto a Deus, mesmo depois da morte física.
 
 
Autor: Márcio C. Rossi Bettecher