Procure

Na aula de hoje estudaremos a respeito do preparo, chamado e envio de Moisés, o libertador escolhido por Deus para retirar os israelitas do Egito. Inicialmente mostraremos como Moisés foi preparado para exercer suas funções diante do Faraó. Em seguida, refletiremos a respeito do seu chamado, quando viu a sarça ardente e ouviu a voz de Deus. Ao final, aprenderemos sobre seu envio para libertar o povo de Israel do cativeiro.
Jesus estava reunido com seus discípulos, quando revela a Simão Pedro que Satanás estava prestes a peneira-lo. As mesmas dúvidas que afligiram Simão, nos afligem hoje. E a mesma peneira ainda está nas mãos do inimigo para cirandar aqueles que são portadores das  promessas no Reino de Deus.
Temos no livro de Ester um paradoxo - O desprezo e punição dados a rainha Vasti que recusa se apresentar perante o rei, e a exaltação de uma jovem órfã Ester que devota sua vida a presença do rei. O paradoxo da rainha que recusa a presença do Rei (Vasti) e da que dedica a vida (Ester) ao reino, pode ser comparado a nós em relação a Deus. A vida de Ester é um exemplo de cristianismo, de amor a Deus e aos homens. É de uma beleza e profundidade ímpar!
Entre os milhares de diálogos de Jesus, Deus nos preservou apenas alguns. O fato de ter poucas conversas dele, nos leva a guardá-las com todo carinho. Com Jesus aprendemos muito sobre alcançar as pessoas com o evangelho. Com a mulher samaritana aprendemos como reagir diante do evangelho.
Apesar de ser escolhido, antes de nascer, para ser abençoado no plano de Deus, Jacó teve uma vida cheia de conflito, decepção e perigo. Em muitas situações, ele não foi a vítima, e sim, o provocador destes conflitos. Em uma noite apareceu um homem que lutou com Jacó. Conforme o relato em Gênesis 32, percebemos que este homem foi o próprio Senhor. Depois de uma noite de luta livre e nove décadas de teimosa resistência, Jacó aprendeu que realmente é melhor confiar em Deus.
A história de José do Egito pode ser avaliada em função de suas fases, ilustradas pelas casas por onde ele passou. Nossas vidas também se dividem em fases. O leitor desta mensagem saberá identificar em qual 'casa' se encontra. Apesar das perdas e do sofrimento, José não perdeu a fé nem a fidelidade no meio do caminho. Cada 'casa' tem suas particularidades, seus limites, seus problemas, desafios e propósitos. Erramos quando não os reconhecemos.
Não havia cartórios, advogados, meios jurídicos que validassem e defendessem a causa da população, então em Israel, era comum se recorrer ao costume dos sapatos para solucionar pendências. Moisés chegou a instruir o povo a se organizar na porta da cidade e com ajuda dos anciãos, firmar contrato envolvendo os calçados. Como Boaz resgatou a Rute, como Moisés tirou as sandálias no Horebe, como Josué ficou descalço em Jericó, assim seja conosco. Tiremos nossas sandálias, nos aliancemos a Deus para uma caminhada segura nessa terra em direção ao porvir.
Antipas se interessou pela mensagem pregada por João Batista, o homem enviado para preparar o caminho de Jesus. Mas a pregação de João o incomodava, porque esse servo de Deus claramente condenou seu casamento adúltero. A declaração de João Batista se baseou na palavra de Deus e foi pronunciada pela confiança desse homem na autoridade absoluta da palavra do Senhor. Por este motivo, João perdeu a cabeça. Não no sentido de radicalismo descontrolado, mas literalmente.
Muita gente conhece a história bíblica de José. Pouca gente olha para o lado político da história. O socialismo de José do Egito, contando com a revelação divina sobre os detalhes da economia no futuro próximo, não foi além da mera sobrevivência. José conseguiu planejar a economia porque o próprio Deus lhe deu a informação necessária
Sara teve uma ideia para 'ajudar' a Deus - sugeriu que Abraão tomasse sua serva, Agar, como concubina, para que Deus cumprisse as promessas por meio de um filho de Abraão com Agar. Tentaram ajudar o Senhor! Por não conseguirem enxergar os meios que Deus usaria para cumprir suas promessas, tentaram facilitar as coisas. Acreditar que Deus fará as coisas do nosso jeito não é fé no Senhor. Imaginar que Deus precisa da nossa ajuda, usando os nossos recursos para ajeitar as coisas para que ele possa cumprir a sua palavra, também não é a fé que ele pede
Quando Deus chamou Abraão, ele lhe fez três promessas - terra, nação e bênçãos para as famílias da terra. Em Jesus Cristo, Deus cumpriu a mais importante das três promessas a Abraão, e nós somos os abençoados por ter acesso à salvação eterna!
Deus perguntou a Caim - 'Onde está teu irmão?' A passagem deixa claro que Deus fez a pergunta não por desconhecer a resposta e precisar de um homem para lhe dizer. Isto porque, quando Caim negou que sabia, Deus revelou que ele já sabia o que aconteceu - Caim matou Abel. Quando Deus faz uma pergunta, ou quando ele fala de uma forma como se fosse menos do que onipotente e onisciente, não é devido a qualquer deficiência em si mesmo, mas é com o propósito de interagir com o homem