Procure

Esboço O Incrível Caráter de Eliseu


"Veio, pois, Naamã com os seus cavalos e com o seu carro e parou à porta da casa de Eliseu. Então, Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne te tornará, e ficarás purificado".  2 Reis 5.9-10

       Esta passagem é uma das mais conhecidas e mais pregadas no meio do povo evangélico. Também tema das inúmeras "campanhas" nas igrejas pentecostais. E, justamente por isso, nos concentramos tanto no fator "cura divina" operada neste siro, que deixamos de observar detalhes importantes que nos trazem grandes lições. Uma destas lições é o caráter exemplar de Eliseu, que nunca se deixou influenciar por pessoas de posição social relevante. Naamã era o comandante do exército do rei da Síria. Um homem importante, pois por meio dele o Senhor deu vitória a Síria. Era um herói de guerra. Algum outro profeta talvez estivesse preocupado com todo o aparato para receber este homem, que a própria bíblia diz ser homem "valoroso" (2 Reis 5:1) Mas Eliseu, sem se preocupar com quem era ou deixava de ser, apenas "enviou um mensageiro", como relata o versículo acima, para dar o recado a Naamã. Se ele fosse lá mergulhar, amém. Se não fosse, azar o dele!!!
       Vemos a mesma atitude simples de Eliseu quando ele não mostra nenhum tipo de bajulação a mulher sunamita, que era uma mulher grave (significa rica) que o via passar por ela.
 
"E ela disse ao seu marido: Eis que tenho observado que este que passa sempre por nós é um santo homem de Deus".  2 Reis 4.9
 
       Não era a primeira vez que Eliseu passava perto desta mulher e seu marido. Ele já estava na observação da sunamita. "...que passa sempre por nós..." Eliseu não adiantou nenhum tipo de "puxa-saquismo" pelo motivo dela ser rica. Não ficava arreganhando a cara como se ali estivesse algum motivo mais importante para isso do que no mais pobre. Eliseu não estava nem aí se ela fosse rica, milionária, bilionária, dona-do-mundo, mas "passava" por ela e seu esposo, com sua vida dedicada a Deus, saudando normalmente a todos, e isso despertou a atenção da mulher sunamita na vida sem interesses da parte do profeta.
       Alguns, nos dias de hoje, vêem um homem incrédulo, sem Deus, mentiroso, leproso espiritualmente, coloca em cima do púlpito, e ainda coloca a igreja de pé para recebê-lo. Meus irmãos, Nicodemos era um dos principais dos judeus, e de noite foi ter com Jesus, e adiantou uma gracinha, um elogio pra fazer uma média: "Sabemos que és mestre vindo da parte de Deus". Jesus cortou o barato dele e respondeu: 
 
"Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus".  João 3
 
       Para ele, um dos principais, de posição entre os judeus, não seria uma vergonha?! 
 
"Nicodemos respondeu e disse-lhe: Como pode ser isso? Jesus respondeu e disse-lhe: Tu és mestre de Israel e não sabes isso?"  João 3:9,10
 
       Eliseu já tinha este caráter.
       Quantos profetas nos dias de hoje, ouvem um elogio, e se derretem as palavras macias da hipocrisia. Basta dizer: "-O irmão fulano é um homem de Deus". Pronto. Acabou o profeta! Ainda que ele tenha algo de exortação, correção, advertência, para esta pessoa, o fará bem em particular, com muito cuidado. O que ele não faria com outro. Eliseu não era covarde, como alguns, que se acham corajosos e ousados com uns, mas que diante dos mais ricos, dos que tem um certo poder, fingem não ver o erro, fazem vista grossa.
       Não estou dizendo que não se deve respeitar a autoridade. Não é isso que prego. Respeite as autoridades, pois é bíblico:
 
"Toda alma esteja sujeita às autoridades superiores; porque não há autoridade que não venha de Deus; e as autoridades que há foram ordenadas por Deus. Por isso, quem resiste à autoridade resiste à ordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos a condenação". (Romanos 13:1,2)
 
       O que deve se refletir é sobre a posição social ou financeira de algum irmão estar acima da obra de Deus, de comprar a autoridade espiritual do profeta, fazer temer o que serve a Deus de entregar uma exortação. De se ter coragem e autoridade para humilhar o mais pobre, e diante da mesma situação com o mais rico usar parâmetros diferentes. Deus não faz acepção de pessoas. O cristão, o profeta, o líder, não pode ter duas caras, duas atitudes, usar de dois pesos e duas medidas.
 
"Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum homem com anel de ouro no dedo, com vestes preciosas, e entrar também algum pobre com sórdida vestimenta, e atentardes para o que traz a veste preciosa e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui, num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé ou assenta-te abaixo do meu estrado, porventura não fizestes distinção dentro de vós mesmos e não vos fizestes juízes de maus pensamentos? ...Mas vós desonrastes o pobre. Porventura, não vos oprimem os ricos e não vos arrastam aos tribunais? (Tiago 2:2-4,6)
 
Autor:  Pr Edson Campos